"A logística reversa é processo de planejamento, implementação e controle do fluxo dos resíduos de pós-consumo e pós-venda e seu fluxo de informação do ponto de consumo até o ponto de origem, com o objetivo de recuperar valor ou realizar um descarte adequado. Desta forma, contribuindo para a consolidação do conceito de sustentabilidade no ambiente empresarial, apoiada nos conceitos de desenvolvimento ambiental, social e econômico. " (Patricia Guarnieri)



Crédito da imagem: jscreationzs / FreeDigitalPhotos.net

quarta-feira, 8 de agosto de 2012

Toritama PE - A futura Wasteland brasileira?

Crédito: Imagens 'Profissão Reporter 07/08/12' 
Ao assistir o programa 'Profissão Repórter' de 07/08/2012, o qual acompanhou o dia a dia dos trabalhadores de confecções de roupas em todo o Brasil, a situação de um município pernambucano chamou minha atenção. Residi em Recife por 3 anos e tive a oportunidade de visitar a 'Feira da Sulanca', muito tradicional em Caruaru-PE. Neste local há um intenso comércio de confecções por preços muito baixos, similares aos praticados na Região do Brás em SP, o que faz com que esta cidade, receba comerciantes, principalmente da Região Nordeste em fluxo contínuo, movimentando a economia da região. 

Crédito: Imagens 'Profissão Reporter 07/08/12' 
Os produtos comercializados em Caruaru - PE, em sua maioria provém do município de Toritama-PE, o qual encontra-se localizado no agreste setentrional de Pernambuco a 167 Km do Recife e a 36 Km de Caruaru. Apesar de ser um município pequeno, possui como atividade principal a indústria de confecções e lavanderias industriais e, é responsável por cerca de 14% da produção nacional de jeans no País, com cerca de 2 milhões de peças/ano, perfazendo um montante de 6 milhões de reais/ano, o que qualifica o município com taxas de desemprego próximas a zero (FADE/UFPE, 2003).

Chocou-me observar as condições de trabalho dos habitantes desta cidade, os quais em sua esmagadora maioria trabalha informalmente, sem direitos trabalhistas, no entanto se orgulham por ter emprego e possuir uma fonte de renda. A reportagem do programa 'Profissão Repórter'  apresentou o depoimento de diversas pessoas que abriram pequenas oficinas de costura em suas residências e que se orgulham de estar trabalhando e gerando renda. Cabe ressaltar que admiro a força de vontade e o empenho de todos esses brasileiros,  que por falta de melhores condições e outras opções de emprego, trabalham noite e dia para alimentar suas famílias. O que revolta é o valor que recebem das grandes lojas, comerciantes e marcas famosas de Jeans, nada mais do que R$1 a R$3 por peça produzida. Sem dúvida, esta atividade movimenta a região, gera renda e gera uma taxa de quase 0% de desemprego. No entanto, devemos nos perguntar a que preço essas taxas de desemprego são atingidas. O programa também apresentou que diversos lavradores estão abandonando o trabalho do campo para se dedicar às facções.

Crédito: Diagnóstico Toritama 2003.
Verifica-se que a atividade de lavagem do jeans é responsável pelo maior problema de poluição observada naquela região, sendo caracterizado a geração de poluentes hídricos, proveniente da etapa de tingimento das peças de jeans, o qual possui um potencial poluidor elevado (Silva, Barros e Rezende, 2005).
Isso ocorre em função da formulação dos corantes e outros aditivos, que fazem com que o efluente final, além de coloração acentuada elevada, tenha níveis de DBO, DQO e metais pesados. Essa poluição é potencializada levando-se em conta que a grande maioria das lavanderias realiza o descarte dos seus efluentes sem tratamento, diretamente no Rio Capibaribe, o qual é o principal manancial de abastecimento de água daquela região (Monteiro et al., 2010).

Crédito: Imagens 'Profissão Reporter 07/08/12' 
As imagens de Toritama apresentadas no programa 'Profissão Reporter' me remeteram à famosa cidade chinesa Victoria Harbour, conhecida como  "Wasteland", na qual não se encontram mais água potável e ar puro e, onde existe alta incidência de câncer entre os habitantes. Postei essa matéria aqui no blog Clique Aqui para acessar. A única diferença é que o ramo de atuação que emprega a população é o da reciclagem de eletroeletrônicos, o qual também gera vários impactos ambientais. 

Crédito: Imagens 'Profissão Reporter 07/08/12' 
Diante desse grave cenário ambiental e após denúncias dos habitantes de Toritama, a CPRH juntamente com o Ministério Público Estadual, decidiram intervir no processo, iniciando uma campanha de regularização, visando o ajustamento das empresas, o que iniciou com um diagnóstico ambiental realizado em 2005. Acesse o diagnóstico Clique Aqui.
Por meio deste diagnóstico é possível perceber que 100% das lavanderias não possuem licenciamento ambiental, resídências não possuem água potável, 67% do processo industrial e das residências são abastecidas por carro pipa, o  Rio Capibaribe está totalmente poluído por rejeitos químicos provenientes das lavanderias, 67% das empresas não possuem alvará de funcionamento, 70% dos efluentes sanitários são descartados em redes pluviais.

No entanto, pesquisei sobre ações implementadas na região e não localizei informações. Cabe ainda ressaltar que essa prática de terceirizar a produção para pequenas facções é comum para emprseas de marcas famosas, dentre elas Zara, M. Officer, Nike, Adidas, entre outras. As empresas utilizam essa mão-de-obra barata para produzir seus produtos e repassar aos consumidores finais, preços altíssimos.

Chamo a atenção para esta situação aqui no blog e pergunto:

Será que Toritama-PE está se tornando a Wasteland brasileira??

Quando você adquire produtos muito baratos, você se pergunta as razões desse baixo custo??

Será que esse baixo custo não é obtido por meio da exploração de mão-de-obra e poluição ao meio ambiente??

A responsabilidade seria dos trabalhadores ou das grandes empresas que obtém altos lucros contratando esta mão-de-obra?

Pensemos nisso ao consumir!

Por: Patricia Guarnieri para o Blog Logística Reversa e Sustentabilidade

Referências utilizadas

FADE, UFPE. 2003. Estudo de caracterização econômico do pólo de confecções do Agreste Pernambucano. Relatório final apresentado ao SEBRAE-PE. Recife.
MONTEIRO, N. B. et al. Avaliação dos impactos ambientais no município de Toritama. In: X Jornada de Ensino, Pesquisa e Extensão - JEPEX 2010 – UFRPE: Recife, 18 a 22 de outubro.
SILVA,G.L., BARROS, C. R., REZENDE, R. B. Diagnóstico ambiental das lavanderias de jeans de Toritama – Pernambuco. 23º Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental.
PROGRAMA PROFISSÃO REPORTER. A vida dos trabalhadores de confecões de roupas no Brasil. Rede Globo. Exibido em 07/08/2012 

6 comentários:

  1. Eles sempre mostram o lado negativo da cidade de toritama, e nunca mostram o lado positivo, toritama a pouco era uma cidade com 21mil habitantes hoje tem cerca de 35mil sendo que muitos vieram de cidades proximas do sul e suldeste e ate da corea.
    realmente para "costurar" uma peça tem preço de 3 reais em facçoes informais sendo que deixando um lucro de 1,5 por peça uma facçao menor que seja (menor mesmo) produz 1000 peças por semana ou seja 1500 por semana 6000 por mes. por isso eles preferem ser informal ao receber 650 por mes de carteira assinada. detalhe empresas grandes hoje tem centenas delas com centenas de funcionarios registrados de porteiro a gerente.
    obs: esses 1 real por peça produzida pode ser pouco, mas me diga quem sem estudo nenhum tem uma oportunidade de ganhar cerca de 6000 (no minimo detalhe) por mes sem ser medico? lembrando que la ninguem produz para moffice nike ou qualque tipo de marca grande são marcas locais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espero que essas pessoa tenha saúde para chegar aos 65 anos para conseguir uma aposentadoria , R$ 6000,00 clandestino de hoje não vai dura para sempre e o tempo de contribuição que não existe vai fazer falta.

      Excluir
  2. desculpe o desabafo mas me entristece falar mal de um cidade tão boa para um povo sofrido como o de nossa regiao e ver a midia querer afundar uma cidade pequena que gera emprego e que o povo quer trabalhar o povo ganha dinheiro la e fica la ninguem trabalha forçado todos vão para la de todo o lugar do mundo, porque sera que o governo não apoia uma cidade com pib maior que o da china?

    ResponderExcluir
  3. Olá,
    Agradeço seu comentário. Em nenhum momento a sua cidade foi depreciada, o artigo tenta mostrar a preocupação com a qualidade de vida da população e com o meio ambiente. Sou filha de costureira com muito orgulho e sei o quanto estes profissionais sofrem para ganhar o pão de cada dia. No entanto, não podemos concordar que a situação em que a cidade está em meio à poluição ambiental e trabalhadores sem condições de trabalho adequadas é satisfatória. Há meios de se continuar com esta atividade de uma forma mais adequada, e isso deve partir dos consumidores e empresas que contratam essa mão de obra tão digna. Também concordo que o governo "deve" tomar iniciativas para melhoras as condições de vida e trabalho da população de Toritama, considerando sua importância no segmento têxtil. Tentei aqui no blog somente chamar a atenção para uma situação complexa, para conscientizar os leitores. att.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Patricia, também concordo com você no quesito poluição ambiental, que aflige todo o planeta, principalmente as regiões mais carente de políticas públicas voltas para esse item tão importante paras todos. Infelizmente nossos governantes nada faz para melhorar o problema da poluição, principalmente em cidades pequenas, como é o caso de Toritama, Sta. Cruz do Capibaribe, e muitas outras que cresceram em Industrias mas não tem programas de controle ambiental dos poluentes. Sei que o programa "Profissão Repórter" foi muito unilateral falando somente dos pontos negativos, mas por uma parte vejo isso como uma alerta aos "prefeitos" dessas comunidades para que cuidem melhor do seu município, até porque diminuirá muito o número de pessoas (trabalhadores) doentes vítimas desse desrespeito aqueles que trabalham para ganhar seu pão de cada dia.

      Excluir
  4. Rapaz é um seguinte rola dinheiro e é muito, logo a turma mesmo da cidade ta pouco se lixando se o rio ta azul. O cara que tem o facção dele em casa bem organizada ele ganha no minimo 1500 reais por més sem muito trabalho.

    ResponderExcluir