"A logística reversa é processo de planejamento, implementação e controle do fluxo dos resíduos de pós-consumo e pós-venda e seu fluxo de informação do ponto de consumo até o ponto de origem, com o objetivo de recuperar valor ou realizar um descarte adequado. Desta forma, contribuindo para a consolidação do conceito de sustentabilidade no ambiente empresarial, apoiada nos conceitos de desenvolvimento ambiental, social e econômico. " (Patricia Guarnieri)



Crédito da imagem: jscreationzs / FreeDigitalPhotos.net

sábado, 30 de outubro de 2010

Produtos e práticas sustentáveis - Empresa Natura

A Natura tem uma longa história de compromisso com a conservação do meio ambiente. A empresa nasceu com esse nome, há 40 anos, justamente porque acredita que os ingredientes da natureza contem as melhores soluções para os consumidores. Ao longo de sua trajetória, protagonizou iniciativas importantes.
Em 1983, ano em que as Nações Unidas criaram sua Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento, a empresa foi pioneira no uso de refil de cosméticos no país. Em 1997, quando o mundo viu nascer o Protocolo de Kyoto, a Natura converteu sua frota de distribuição na Grande São Paulo para gás natural veicular (GNV).

Foi dentro desse espírito que, em 2000, a Natura lançou a linha Natura Ekos, assumindo um compromisso explícito com o uso sustentável da biodiversidade brasileira e com a repartição social dos benefícios gerados pela inovação baseada em conhecimento tradicional. Em 2001, incorporou um novo critério no desenvolvimento de produtos, a Avaliação do Ciclo de Vida (ACV) para as embalagens. A metodologia leva em conta todo o processo de fabricação – desde a extração de recursos naturais até a devolução na forma de resíduos, emissões e efluentes –, o que permite a redução do impacto ambiental dos produtos da empresa.
Quatro anos depois, em 2005, a empresa avançou em seu compromisso com a sustentabilidade ao substituir os insumos tradicionais de origem mineral (como derivados de petróleo) e animal por matérias-primas vegetais na formulação dos produtos.
Em 2007, a empresa se tornou Carbono Neutro e adotou a tabela ambiental em seus rótulos de produtos, levando ao consumidor dados técnicos sobre a composição e embalagem. A iniciativa, que oferece informações que vão desde a escolha e obtenção da matéria-prima até a origem e o descarte da embalagem no meio ambiente, visa despertar o consumo consciente.
No ano passado, foi a primeira empresa brasileira a aderir ao programa Defensores do Clima do WWF-Brasil com o compromisso de reduzir em 10% as emissões absolutas dos seus processos operacionais até 2012, em relação ao ano de 2008. Neste ano, nos dez anos da linha Natura Ekos, a marca lançou novos sabonetes de murumuru, cupuaçu, maracujá e cacau, com 20% a 50% de óleo da biodiversidade brasileira, extraídos de ativos comprados de oito novas comunidades. Com isso, a empresa passou a beneficiar mais 263 famílias e dobrou os recursos financeiros revertidos por ano.

Fonte: www.natura.net

Nenhum comentário:

Postar um comentário