"A logística reversa é processo de planejamento, implementação e controle do fluxo dos resíduos de pós-consumo e pós-venda e seu fluxo de informação do ponto de consumo até o ponto de origem, com o objetivo de recuperar valor ou realizar um descarte adequado. Desta forma, contribuindo para a consolidação do conceito de sustentabilidade no ambiente empresarial, apoiada nos conceitos de desenvolvimento ambiental, social e econômico. " (Patricia Guarnieri)



Crédito da imagem: jscreationzs / FreeDigitalPhotos.net

domingo, 9 de janeiro de 2011

Logística Reversa da Coca-cola Brasil - Projeto "Reciclou Ganhou" -

Mais uma iniciativa que deve ser divulgada, apesar de ter sido criado pela Coca-Cola em 1996, o projeto “Reciclou, Ganhou” não é amplamente divulgado. 
Desde a sua criação, o projeto promoveu a reciclagem de 178 milhões de embalagens, sendo 30 milhões de garrafas PET, 135 milhões de latas de alumínio, 8 milhões de latas de aço e 5 milhões de caixas TetraPak, totalizando 3,9 mil toneladas de material reciclado. O “Reciclou, Ganhou” funciona a partir de parcerias da Coca-Cola, dos fabricantes e de mais de 4 mil instituições (cooperativas de catadores, escolas, associação de moradores e igrejas. 21 cooperativas de catadores, com capacidade de processamento total de quase 1.100 toneladas de material/mês, também são beneficiadas pelo “Reciclou, Ganhou”, recebendo apoio técnico e doações de materiais que viabilizam o negócio da reciclagem de materiais em suas regiões e criam oportunidades de trabalho.
Este é um número expressivo e resulta da valorização da resina reciclada. Atualmente, uma tonelada de PET prensado é vendida pelas cooperativas entre R$ 400 a R$ 850, o que estimula a cadeia do negócio. Com o incentivo à coleta seletiva e a maior conscientização entre consumidores, a tendência de aumento da reciclagem do PET deve se manter nos próximos anos. Também pode contribuir muito para esta valorização a separação do PET e outros materiais pelo próprio consumidor, permitindo obter uma matéria prima mais limpa e reduzindo os custos de processamento.
O “Reciclou, Ganhou” não só é um programa educacional e ambiental como também atua na área social, resgatando a dignidade de desempregados e moradores de rua, colaborando para que eles possam ganhar seu sustento de forma honesta e ecológica. A iniciativa ocorre através de uma parceria entre Coca-Cola Brasil, Comlurb, Liesa e Riotur .
A parceria segue a linha do programa “Reciclou, Ganhou”, da Coca-Cola Brasil, que atua na educação ambiental de comunidades e apóia mais de vinte cooperativas em 20 estados, doando equipamentos como uniformes, caminhões e prensas, e que também beneficia mais de 4,5 mil entidades, entre escolas, asilos, igrejas e associações de moradores, que trocam os comprovantes de coleta de material por prêmios de seu interesse, tais como computadores, veículos e livros.
Além de coletar material nas áreas de acesso público, os catadores também separam o material reciclável nos pontos de transferência de lixo. 
Para quem não sabe em 1992, a Coca-Cola foi uma das fundadoras do CEMPRE - Compromisso Empresarial para Reciclagem, uma associação dedicada à promoção da reciclagem e mantida por algumas das maiores empresas do país em vários setores. O CEMPRE trabalha para conscientizar a sociedade sobre a importância da redução, reutilização e reciclagem de lixo através de publicações, pesquisas técnicas, seminários e bancos de dados. Os programas de conscientização são dirigidos principalmente para formadores de opinião, tais como prefeitos, diretores de empresas, acadêmicos e organizações não-governamentais. 

Assista o vídeo "Cada garrafa tem uma história" com Tião dos Santos, presidente da Associação dos Catadores de Gramacho (Clique sobre o vídeo)


Por: Patricia Guarnieri - Blog Logística Reversa e Sustentabilidade
Fonte: Informações extraídas do site Coca-Cola Brasil

6 comentários:

  1. por que a coca cola não utiliza embalagens retornaveis ao inves de descartaveis assim ajudaria muito mais o meio ambiente

    ResponderExcluir
  2. por que a utilização de latas de aluminio as quais demoram tantos anos no processo de degradação e a não utilização de latas de aço onde o processo e menor. Poderia dizer que o aluminio é mais barato MAS SE PENSARMOS NO CUSTO BENEFICIO a final o planeta esta gritando por socorro a cada dia e parece que nos não conseguimos acordar para a realidade....

    ResponderExcluir
  3. Existem vários interesses para se usar embalagens plásticas, são mais baratas, mais leves, mais fáceis de transportar, no entanto, causam maiores prejuízos para o meio ambiente. No que se refere às embalagens de alumínio e aço, elas levam o mesmo tempo para se degradar no meio ambiente e o custo é similar, cerca de 99,7% das embalagens de alumínio produzidas no Brasil são recicladas, ou seja, a maioria não vai parar no meio ambiente, tendo em vista que o valor da venda da sucata de alumínio é o mais alto dentre todos os tipos de resíduo. No Brasil o ciclo de vida de uma lata, contando o tempo da sua produção até o momento em que é reciclada e vira uma nova latinha é de 30 dias, ou seja, é um dos resíduos com melhor processo de reciclagem e reaproveitamento.
    O que nós como consumidores devemos fazer, é no momento de consumir priorizar os produtos que possuem embalagens mais fáceis de ser recicladas, como é o caso do alumínio, do aço e do vidro. Infelizmente existem muitos interesses econômicos envolvidos na decisão da embalagem por parte das empresas.
    Att,

    ResponderExcluir
  4. no caso da coca cola ja que a maioria dos seus produtos são garrafas seja de agua ou de refrigerantes ou outros não está na hora de se pensar em uma boa política de logística reversa direta. Lançaram um produto uma farrafa de coca cola retornavel como fizeram também a alguns anos atras e que logo retiraram do mercado, e eu me pergunto quantos produtos tem no mercado em garrafas e somente uma é retornavel.POR QUE não fazer com todos os seus produtos?

    ResponderExcluir
  5. Olá!
    Realmente as embalagens retornáveis seriam uma alternativa ambientalmente muito mais correta, mas não podemos esquecer que aumentaria os custos com transporte para a empresa e, infelizmente, apesar da preocupação ambiental que muitas empresas têm atualmente, a questão "custo" é o fator preponderante na escolha do tipo de embalagem,pois o plástico além de ser mais barato, reduz as possibilidades de avarias no transporte e consequente perda do produto.
    Mas eu, particularmente, sou muito a favor das embalagens retornáveis e também daquelas com refis, nós consumidores podemos dar prioridade a este tipo de produto no momento da compra.
    Abraços e obrigada por seu comentário!

    ResponderExcluir
  6. Patrícia qual as preocupações e aplicabilidade da análise do ciclo de vida das garrafas PET da Coca-Cola ?

    ResponderExcluir