"A logística reversa é processo de planejamento, implementação e controle do fluxo dos resíduos de pós-consumo e pós-venda e seu fluxo de informação do ponto de consumo até o ponto de origem, com o objetivo de recuperar valor ou realizar um descarte adequado. Desta forma, contribuindo para a consolidação do conceito de sustentabilidade no ambiente empresarial, apoiada nos conceitos de desenvolvimento ambiental, social e econômico. " (Patricia Guarnieri)



Crédito da imagem: jscreationzs / FreeDigitalPhotos.net

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Embalagens longa vida - A rota da reciclagem

As caixinhas longa vida eram, até poucos anos atrás, um problemão para a Tetra Pak, empresa líder no processamento e envase de alimentos. Não se conhecia, até então, uma maneira eficaz de reciclar as milhares de embalagens pós-consumo despejadas no mercado todos os anos – e devolver para a origem da cadeia produtiva, em forma de matéria-prima, cada um dos materiais que compõem a embalagem (alumínio, papelão e plástico), solução considerada o auge da eficiência ambiental e financeira. Antes era possível isolar das caixinhas só o papel, mantendo o alumínio e o plástico unidos. A cada ano, a produção de caixinhas para o envase de leite, molho de tomate, sucos e iogurtes crescia a uma média de 5% só no Brasil. E o nó ambiental da Tetra Pak se multiplicava nas mesmas proporções.
A empresa tinha dois desafios pela frente, em sua caminhada para desatolar os aterros sanitários e melhorar a imagem diante dos consumidores conscientes. O primeiro era desenvolver uma tecnologia que permitisse separar o alumínio do plástico. O segundo, agregar valor à embalagem. O preço pago pela tonelada de caixinha era, naquela época, só 20% do valor do papelão ondulado. Não interessava aos recicladores, portanto, separá-las para vender.
Foi aí que, em 1995, o engenheiro químico Fernando von Zuben chegou para resolver a vida da Tetra Pak no mundo. Com jeitão de cientista maluco, esse paulistano de 52 anos conseguiu, pela primeira vez, a separação total do alumínio e do plástico contidos nas caixinhas, antes um pesadelo para a reciclagem.
O pulo-do-gato não veio da noite para o dia. Até obter a fórmula inovadora, Von Zuben quebrou a cabeça durante sete anos. Pediu ajuda a cientistas russos e firmou parceria com o Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), em São Paulo. Depois de várias tentativas (e muitos erros), chegou à tecnologia a plasma, inédita no mundo, que revolucionou o modelo atual de reciclagem ao separar os três componentes da caixinha.
A engenhoca high-tech foi desenvolvida em parceria com a produtora de alumínio Alcoa, com a fabricante de papéis Klabin e com a empresa especializada em serviços ambientais TSL Ambiental. Custou R$ 60 milhões no total, R$ 7 milhões investidos pela Tetra Pak.
O alumínio que sai do processo é moldado em lingotes de 25 quilos, que seguem direto para a linha de produção da Alcoa, líder de mercado nesse segmento. Pode ainda sair em pó e ser vendido para a indústria de tintas automobilísticas. O papel vira papelão reciclado na fábrica da Klabin. Já o plástico é mandado, em forma de parafina, para as mais diversas indústrias.
Além da solução a plasma, Von Zuben colocou uma série de ideias em prática para promover a reciclagem e aumentar o valor pago pela tonelada de embalagens longa vida. O primeiro passo foi o desenvolvimento do pellet, uma espécie de grão feito de alumínio e plástico com o qual é possível fabricar de telhas e vassouras a vasos e canetas esferográficas. Depois de criar novas aplicações para a embalagem, ficou mais fácil convencer os fabricantes a utilizar o material e os recicladores a juntar as caixinhas. Entenda o ciclo do produto depois do descarte correto:
A inovação trouxe benefícios para a empresa, que se livrou de um problemão ambiental e se consagrou como amiga do planeta. Para o meio ambiente, ao reaproveitar materiais e evitar a retirada de mais recursos naturais da Terra. E para a cadeia produtiva em geral, uma vez que hoje muita gente vive com o dinheiro do lixo.Mas tem um detalhe: nada disso faz sentido se você não colaborar. A batalha da Tetra Pak está só começando. Von Zuben já fez a sua parte, embora esteja longe de encarar sua missão como terminada. “Para convencer o consumidor, não basta informá-lo e educá-lo. Preciso fazer com que ele entenda que a reciclagem muda vidas e ajuda o planeta. Esse é hoje o meu desafio”, afirma.
Se você quer fazer parte desta história, basta destinar suas caixinhas no lugar certo e lavá-las após o uso para agregar valor.
O site Rota da Reciclagem mostra os pontos de coleta mais próximos da sua casa. Para conhecer o processo e participar acesse: http://www.rotadareciclagem.com.br/index.html

Por: Aline Ribeiro
Fonte: Blog do Planeta - Revista Época

4 comentários:

  1. Bom Dia Patrícia,

    Estou fazendo um Projeto de Pesquisa, que a "idéia" do tema é Logística reversa no Varejo Sustentável, tem alguma dica, ou material?
    Meu e-mail é carlinha002@yahoo.com.br

    Grata.

    Atenciosamente;

    ResponderExcluir
  2. Bom dia Carlinha, como vai?
    Enviei materiais no seu e-mail, se precisar de algo mais específico entre em contato através do blog ok? O tema está legal, o passo seguinte agora é ler muito para delimitar seu tema.
    Abraços,

    ResponderExcluir
  3. olá.. estou fazendo um trabalho para a faculdade onde precisamos falar sobre Gestão de suprimentos : metodologia/modelo aplicado
    Ferramentas : recursos tecnológicos aplicados na gestão da Tetra Pack.... vcs tem algum material referente a este assunto? e-mail: catiane.avila@gmail.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Catiane,
      Infelizmente não tenho materiais sobre este assunto, tente pesquisar nos links que indico na aba Materiais grátis, no menu do topo da página deste blog. att.

      Excluir