"A logística reversa é processo de planejamento, implementação e controle do fluxo dos resíduos de pós-consumo e pós-venda e seu fluxo de informação do ponto de consumo até o ponto de origem, com o objetivo de recuperar valor ou realizar um descarte adequado. Desta forma, contribuindo para a consolidação do conceito de sustentabilidade no ambiente empresarial, apoiada nos conceitos de desenvolvimento ambiental, social e econômico. " (Patricia Guarnieri)



Crédito da imagem: jscreationzs / FreeDigitalPhotos.net

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

Canais reversos de revalorização de resíduos pós-consumo

Algumas pessoas me questionam sobre o que fazer com os resíduos de pós-consumo. Estariam eles fadados a parar nos tão famosos e tão odiados "lixões"? Como poderíamos agregar valor a algo que já foi descartado? 
E eu respondo que: Não! Estes resíduos não estão fadados e não devem parar nos lixões! Sim! Podemos agregar valor a algo que já foi descartado, e estender sua vida útil!
Existem alternativas a destinação tradicional que anteriormente era feita, atualmente sabemos que praticamente todos os resíduos tem uma utilização alternativa.
Essas alternativas de retorno ao ciclo produtivo constituem-se na principal preocupação do estudo da logística reversa e dos canais reversos de revalorização dos resíduos de pós-consumo. No caso dos resíduos de pós-consumo, especificamente, há basicamente três alternativas:
Desmanche  - Pode ser definido como um sistema de revalorização de um produto durável de pós-consumo ou pós-venda, que após sua coleta, sofre um processo industrial de desmontagem no qual seus componentes em condições de uso ou de remanufatura são separados de partes ou materiais para os quais não existem condições de revalorização, mas que ainda são passíveis de reciclagem industrial. Os primeiros são enviados, diretamente ou após a remanufatura, ao mercado de peças usadas, enquanto os materiais inservíveis são destinados a aterros sanitários ou são incinerados, desta forma agrega valor econômico e de reutilização ao bem de pós-consumo. (LEITE, 2003:07).
Reciclagem  - É o canal reverso de revalorização, em que os materiais constituintes dos produtos descartados são extraídos industrialmente, transformando-se em matérias-primas secundárias ou recicladas que serão reincorporadas à fabricação de novos produtos. Para que essa reintegração se realize, são necessárias as etapas de coleta, seleção e preparação, reciclagem industrial e reintegração ao ciclo produtivo, desta forma o sistema de reciclagem agrega valor econômico, ecológico e logístico aos bens de pós-consumo.
Incineração - É o canal reverso que utiliza o resíduo gerado na geração de energia. Muitas empresas necessitam comprar matérias-primas virgens para a incineração e posterior geração de energia, utilizando resíduos há maior economia dos recursos produtivos e naturais, além do fato de que o resíduo cumpre a função tão bem quanto a matéria-prima original. Os resíduos são incinerados, obtendo-se a revalorização pela queima e pela extração de sua energia residual.
Disposição final - é o último local de destino para o qual são enviados produtos, materiais e resíduos em geral sem condições de revalorização. Sob o ponto de vista ecológico, são considerados locais de disposição final segura, os aterros sanitários controlados, nos quais os resíduos são estocados entre camadas de terra, para que ocorra a absorção natural dos resíduos, caso contrário. Esse canal de revalorização agrega valor econômico e legal aos bens de pós-consumo.
Como podemos ver, existem alternativas, basta que as utilizemos em nosso cotidiano.

Por: Patricia Guarnieri

Um comentário: