"A logística reversa é processo de planejamento, implementação e controle do fluxo dos resíduos de pós-consumo e pós-venda e seu fluxo de informação do ponto de consumo até o ponto de origem, com o objetivo de recuperar valor ou realizar um descarte adequado. Desta forma, contribuindo para a consolidação do conceito de sustentabilidade no ambiente empresarial, apoiada nos conceitos de desenvolvimento ambiental, social e econômico. " (Patricia Guarnieri)



Crédito da imagem: jscreationzs / FreeDigitalPhotos.net

domingo, 8 de agosto de 2010

Investidores alemães em tecnologias limpas sondam Brasil

Mesmo não tendo políticas públicas claras para incentivar a transferência de tecnologias limpas ou o investimento de empresas estrangeiras do setor no Brasil dependerem de políticas públicas, a Câmara Brasil-Alemanha aposta na crescente consciência ambiental do público e das empresas para o sucesso da Feira Ecogerma, disse à revista Sustentabilidade o Diretor de Meio Ambienta da entidade, Ricardo Rose.
Quando o interesse do público é combinado com a percepção das próprias empresas alemãs de que existem muitas novas oportunidades na área de desenvolvimento e produção limpa, o resultado é o aumento do comércio entre os dois países" Mesmo não tendo um grande fluxo comercial [as trocas comerciais com o Brasil representam apenas 2% de todo o comércio alemão], existe um potencial," disse Rose. "Só para citar alguns exemplos: o Brasil tem 15% das reservas de água do mundo, tem uma enorme biodiversidade e tem um grande potencial de produção de biocombustíveis, além disso, o Brasil é um grande player mundial, pois não dá falar sobre os mercados mundiais nas áreas de saneamento, resíduos ou infraestrutura sem o Brasil estar na mesa."
Rose explicou que, apesar da Câmara Brasil-Alemanha ainda estar fazendo o mapeamento dos setores e empresas que vão estar presente no evento em março, em São Paulo, já existe uma expectativa de estarem presentes empresas dos setores de energia renováveis, gestão de resíduos e empresas expecializadas em descontaminação de solos.
No entanto, Rose vê que as oportunidades seriam maiores caso o Brasil tivesse legislações mais claras e modernas.
"A Alemanha é um dos líderes em tecnologia de saneamento, mas porque a legislação brasileira não está clara e como as empresas de saneamento são municipais, não é possível ver onde estão as oportunidades, inclusive para transferência de tecnologia," disse. "O mesmo acontece com o setor de resíduos, pois eu acredito que o atraso na aprovação na política nacional de resíduos sólidos está barrando investimentos. Nenhuma empresa quer se antecipar à demanda na hora de transferir tecnologia".
Segundo Rose, existem várias empresas de consultorias que poderiam estar trabalhando no Brasil oferecendo projetos de estruturação de mercado e fluxo de materiais recicláveis, mas que estão esperando uma legislação mais clara. Um exemplo é na área do lixo eletrônico, onde o Brasil começa a perder para países do Leste Europeu e para a China, disse Rose.

Por: Alexandre Spatuzza
Fonte: http://www.revistasustentabilidade.com.br/

Nenhum comentário:

Postar um comentário