"A logística reversa é processo de planejamento, implementação e controle do fluxo dos resíduos de pós-consumo e pós-venda e seu fluxo de informação do ponto de consumo até o ponto de origem, com o objetivo de recuperar valor ou realizar um descarte adequado. Desta forma, contribuindo para a consolidação do conceito de sustentabilidade no ambiente empresarial, apoiada nos conceitos de desenvolvimento ambiental, social e econômico. " (Patricia Guarnieri)



Crédito da imagem: jscreationzs / FreeDigitalPhotos.net

domingo, 15 de agosto de 2010

Empresas sustentáveis: IBM verde


A IBM economizou US$ 26,8 milhões em gastos com energia elétrica em 2009 como resultado dos esforços de conservação de toda a empresa, que superou as metas corporativas, descreve o relatório anual da empresa. No ano passado, 1.900 projetos de conservação de energia em 270 instalações da IBM em todo o mundo ajudaram a economizar 5,4% de energia total usada pela corporação. O objetivo do ano era economizar 3,5%.
As iniciativas também permitiram à empresa evitar:
• Consumo de mais de 246 mil megawatts-hora de eletricidade.
• Consumo de mais de 410 mil milhões de unidades térmicas britânicas (BTU) de óleo combustível.
• Mais de 142 mil toneladas métricas de emissões de CO2.
Os números representam apenas uma parte do Relatório Anual de Responsabilidade Corporativa e do Relatório Ambiental da empresa, que foram divulgados essa semana. Os relatórios também indicam que a empresa foi a primeira a eliminar compostos tóxicos e melhorar o seu desempenho em diversas áreas importantes, incluindo:
• A conservação de energia e a proteção do clima.
• Processo de gestão.
• Gestão de Produtos.
• Gerenciamento da cadeia de abastecimento.
Este ano é o 20 º aniversário do programa de relatórios ambientais da IBM.
"Estamos orgulhosos de realizar essa prática por 20 anos, quando o meio ambiente era um assunto popular como é hoje, durante profundas mudanças na economia global e em períodos de diferentes resultados financeiros " disse Wayne Balta, vice-presidente corporativo da IBM para Assuntos Ambientais e de Segurança de Produtos, no relatório ambiental.
A partir de 1990, quando a empresa publicou seu primeiro relatório ambiental, até 2009, a IBM disse que:
• Economizou 5.100 gigawatt/hora de consumo de eletricidade.
• Evitou a emissão de quase 3,4 milhões de toneladas métricas de CO2, volume correspondente à 50% do que a empresa emitia em 1990, segundo estimativas.
• Economizou mais de 370 milhões dólares por meio de projetos de conservação de energia e esforços relacionados.
A IBM também comparou os gastos com conservação e outros programas semelhantes com os benefícios ambientais e a redução de custos apresentadas pelos seus esforços.
Em 2009, a empresa gastou US $ 14,3 milhões em capital e US $ 96 milhões em despesa operacional para construir, manter e atualizar suas plantas e laboratórios, visando melhorar o desempenho ambiental e a gestão de programas ambientais. A empresa obteve uma economia ambiental estimada e evitou custos de US$152,4 milhões em comparação com os US $ 96 milhões em despesas operacionais - uma taxa de retorno de cerca de 1,6 para 1.
A IBM também informou sobre:
• Conservação de água: Até o final de 2009, as operações de fabricação microeletrônica da IBM atingiram uma média de economia anual de água de 3,1% nos últimos cinco anos, comparado com sua meta de 2% em um período de cinco anos.
• Emissões de CO2: As emissões com relação à energia caíram 2,6% em 2009,quando se compara os dados com 2008. A compra de energia renovável no ano passado chegou a 11,3% do montante de energia total usado pela empresa em 2009. Combinados, os esforços resultaram em uma redução de 5,7% as emissões de CO2 até o final de 2009, em comparação com uma base de 2005, em relação à energia da IBM. A meta da empresa é atingir uma redução de 12% das emissões de CO2 relacionadas com a energia até 2012.
• Emissões de PFC. IBM ultrapassou a sua meta de redução de emissões perfluorocarbonos na fabricação de semicondutores em 25% até 2010, com base em 1995. No fim de 2009, as emissões de PFC foram 48,8% menores do que o valor de referência de 1995 de 381 mil toneladas métricas de CO2 equivalente.
• Reciclagem: A empresa processou cerca de 41.400 toneladas métricas de produtos que tiveram sua vida útil encerrada e resíduos de produção, enviando apenas 0,5% do total para aterros sanitários ou instalações de incineração para o tratamento. O resultado foi coerente com o objetivo da empresa de enviar mais de 3% para os aterros e incineração.
• Redução de resíduos perigosos: Essa foi uma das poucas áreas em que a empresa não obteve aumentos. A geração de resíduos perigosos indexados da IBM aumentou 8,4% em 2009. A empresa afirma que o aumento foi resultado de mudanças no processo de fabricação de microprocessadores. A meta da empresa é de redução ano a ano na geração de resíduos perigosos provenientes de processos de fabricação.
• Reciclagem de resíduos não perigosos. A empresa enviou 76% dos seus resíduos não perigosos para serem reciclados. O objetivo da IBM é reciclar em média 75% dos resíduos não perigosos no local onde são gerados.
A empresa também destacou a sua eliminação de todos os perfluorooctanossulfonatos (PFOS) e perfluorooctanóico (PFOA) usados nos processos de fabricação de chips, tornando-se a primeiro na indústria a fazê-lo e a invenção de um novo tipo de gerador sem flúor foto-ácido para uso na produção de semicondutores.
O centro de pesquisas da IBM foi considerado, em fevereiro, um exemplo da química verde em ação.
Os relatórios estão disponíveis em: ibm.com/responsability e ibm.com/ibm/environment.

Um comentário:

  1. olá Patricia, meu nome é aline conradi, preciso lhe agradecer pelo e-mail que você me mandou, o material é otimo, e me ajudou muito. fiquei muito contente em ter sido respondida. e pode ter certeza que ainda entrarei muitas vezes em contato para pedir mais ajuda. Muito obrigada mesmo.

    ResponderExcluir