"A logística reversa é processo de planejamento, implementação e controle do fluxo dos resíduos de pós-consumo e pós-venda e seu fluxo de informação do ponto de consumo até o ponto de origem, com o objetivo de recuperar valor ou realizar um descarte adequado. Desta forma, contribuindo para a consolidação do conceito de sustentabilidade no ambiente empresarial, apoiada nos conceitos de desenvolvimento ambiental, social e econômico. " (Patricia Guarnieri)



Crédito da imagem: jscreationzs / FreeDigitalPhotos.net

domingo, 13 de junho de 2010

Movimento dos catadores inicia protestos para garantir cumprimento de ordem judicial a favor da coleta seletiva

O Movimento Nacional do Catadores de Material Reciclado (MNCR) começou no dia 7 de junho uma série protestos para garantir o cumprimento da ordem judicial do final de abril que obrigou a prefeitura de São Paulo a implantar o conselho gestor de Resíduos Sólidos e expandir a coleta seletiva para toda a cidade em 12 meses.  Cerca de 20 membros do movimento estagiaram um protesto na frente da Câmara Municipal no dia 7 de junho.
"Queremos garantir que a ordem seja cumprida que evitar que a prefeitura recorra da decisão," disse Eduardo Pereira, coordenador do MNCR que agrega os catadores e as 17 cooperativas que trabalham triando e vendendo materiais reciclados do programa oficial de coleta seletiva de prefeitura de São Paulo.
Segundo Pereira, a prefeitura já enviou comunicado que irá instituir o conselho gestor, mas ainda não agendou a primeira reunião.
Os catadores estão preocupados com a recente decisão da prefeitura de aumentar a quantidade de resíduos enviada às cooperativas sem possibilitar a capacitação e melhoria de qualidade do serviço de triagem, disse Pereira. "Eles querem provar que não damos conta do recado", protestou.
A Revista Sustentabilidade apurou que a prefeitura pretende recorrer da decisão judicial, mas a assessoria de imprensa da prefeitura não informou os detalhes.
São Paulo recicla oficialmente cerca de 1% de todas as 15 mil toneladas de resíduos geradas na cidade por meio de contratação de 17 cooperativas que recebem material reciclável coletado porta-a-porta por caminhos destinados somente a este fim.

Por: Alexandre Spatuzza
 
Fonte: http://www.revistasustentabilidade.com.br/

Nenhum comentário:

Postar um comentário