"A logística reversa é processo de planejamento, implementação e controle do fluxo dos resíduos de pós-consumo e pós-venda e seu fluxo de informação do ponto de consumo até o ponto de origem, com o objetivo de recuperar valor ou realizar um descarte adequado. Desta forma, contribuindo para a consolidação do conceito de sustentabilidade no ambiente empresarial, apoiada nos conceitos de desenvolvimento ambiental, social e econômico. " (Patricia Guarnieri)



Crédito da imagem: jscreationzs / FreeDigitalPhotos.net

sábado, 19 de junho de 2010

BNDES inclui recicladoras em nova linha de crédito para modernizar setor de plástico

O Banco Nacional de Desenvolvimento (BNDES) destinará R$ 700 milhões para financiar o aumento da produção, a modernização do parque industrial e a melhoria da qualidade das transformadoras e recicladoras de plástico por meio do Programa de Apoio ao Desenvolvimento da Cadeia Produtiva do Plástico lançada na segunda semana junho.
O Proplástico, como é conhecido o programa que terá prazo até 10 anos, com até três anos de carência, tem como público alvo a indústria de transformação de plásticos e estará disponível até 30 de setembro de 2012, em ações ligadas à produção, inovação, reciclagem, consolidação e internacionalização de empresas.
Assim, a iniciativa pretende contribuir para a redução do déficit comercial da cadeia produtiva de plásticos, promovendo a maior inserção do Brasil no mercado internacional.
Segundo o BNDES, a decisão foi motivada pela importância do setor de transformação de plásticos na economia nacional e busca criar um alinhamento com a política industrial do governo federal. As cerca de 11 mil empresas transformadoras de plásticos empregam cerca de 300 mil pessoas em todas as regiões do país. Mais de 70% são microempresas.
O programa federal beneficiará empresas produtoras, fornecedoras de equipamentos, recicladoras e distribuidoras de todos os portes de empresas do setor. O valor mínimo das operações a serem apoiadas é de R$ 3 milhões.
Sendo um programa com características especiais para o setor de transformados plásticos, as operações diretas realizadas com micro, pequenas e médias empresas poderão ser dispensadas de limites de exposição de risco ou de prestação de garantia real, a critério do banco. Os empréstimos do Proplástico serão remunerados pela TJLP (atualmente em 6% ao ano) mais uma remuneração básica do banco de 1% ao ano para as micro, pequenas e médias empresas.
O BNDES também trabalha com uma taxa de risco de crédito variável que será fixa em 0,5% ao ano para empresas com faturamento bruto de até R$ 300 milhões. Para empresas com faturamento maior, a taxa de risco pode variar de acordo com as políticas operacionais do BNDES.

Por: Fernanda Dalla Costa
Fonte: http://www.revistasustentabilidade.com.br/

Nenhum comentário:

Postar um comentário