"A logística reversa é processo de planejamento, implementação e controle do fluxo dos resíduos de pós-consumo e pós-venda e seu fluxo de informação do ponto de consumo até o ponto de origem, com o objetivo de recuperar valor ou realizar um descarte adequado. Desta forma, contribuindo para a consolidação do conceito de sustentabilidade no ambiente empresarial, apoiada nos conceitos de desenvolvimento ambiental, social e econômico. " (Patricia Guarnieri)



Crédito da imagem: jscreationzs / FreeDigitalPhotos.net

sábado, 17 de abril de 2010

Tetrapak transfere tecnologia para a reciclagem total de embalagens longa vida

A Tetrapak, fabricande das caixas longa vida, criou um programa para transferir a tecnologia de reciclagem das embalagens descartadas para o setor de papel, visando aumentar o índice de reaproveitamento de matéria-prima e valorizar a cadeia de processamento pós-consumo.
A expectativa do criador da tecnologia e diretor de Meio Ambiente da Tetrapak Brasil, Fernando von Zuben, é que a tecnologia do plasma influencie toda a cadeia de reciclagem. Segundo Zuben, isso já está acontecendo no Brasil, refletindo no aumento do valor do produto, agregando valor para a reciclagem e valorizando a atuação das cooperativas.
"Aqui nós usamos o plástico e o alumínio, que são produtos que ganharam valor nos últimos anos e que são uma coisa nova no mercado se comparados ao papel e ao papelão, que são fibras, commodites", disse o inventor da tecnologia que permite que os materiais que compõem a caixa longa vida – o plástico e o alumínio - sejam totalmente separados e reciclados.
O maior gargalo para a implantação da tecnologia em um número maior de empresas, segundo o diretor, ainda é a coleta seletiva das embalagens descartadas que não levanta um volume suficiente do material descartado.
"Estamos trabalhando em termos de educação ambiental, com propaganda na TV para que as pessoas participem da coleta seletiva de todos os tipos de material, não somente das nossas embalagens", explicou.
Em apoio aos programas de coleta seletiva, a empresa presta assistência ao trabalho de cooperativas ajudando-as a buscar recicladoras que comprem o material. Ao mesmo tempo, a Tetrapak transfere para essas recicladoras a tecnologia do plasma, para a recuperação total do plástico e do alumínio das embalagens.
"Fazemos uma auditoria nessas empresas e passamos gratuitamente o processo", disse. "O equipamento necessário é o mesmo usado para a fabricação de papel, ele só tem que ser adaptado, de forma que algumas empresas já o possuem".
O mesmo método é utilizado para as fábricas de telhas que usam como base as embalagens da Tetrapak. "A gente passa a tecnologia e o modelo de negócios, mostra onde eles podem comprar a matéria-prima e não recebemos nada por isso", afirma Zuben.
A possibilidade de reciclagem de 100% do material é um privilégio brasileiro, graças à tecnologia peculiar que é usada nas caixas longa vida no Brasil. Em outros países onde a empresa atua, como nos Estados Unidos e na Espanha, a embalagem usa papelão ondulado no qual resíduos de PVC e cola podem acumular contaminando o plastico e o alumínio e reduzindo as vantagens da aplicação da tecnologia do plasma. A vantagem das embalagens brasileiras é que são feitas com material liso, livres desses contaminantes.

Por: Fernanda Dalla Costa

Para ler a matéria completa acesse: http://www.revistasustentabilidade.com.br/reciclagem/tecnologia-do-plasma-da-tetrapak-e-disponibilizada-para-recicladoras-de-papel

Nenhum comentário:

Postar um comentário