"A logística reversa é processo de planejamento, implementação e controle do fluxo dos resíduos de pós-consumo e pós-venda e seu fluxo de informação do ponto de consumo até o ponto de origem, com o objetivo de recuperar valor ou realizar um descarte adequado. Desta forma, contribuindo para a consolidação do conceito de sustentabilidade no ambiente empresarial, apoiada nos conceitos de desenvolvimento ambiental, social e econômico. " (Patricia Guarnieri)



Crédito da imagem: jscreationzs / FreeDigitalPhotos.net

sábado, 17 de abril de 2010

Indústria de papel diz não poder aumentar uso de reciclados

A indústria papeleira não está preparada para atender às determinações do projeto de lei federal que obriga as editoras a utilizar papel reciclado em pelo menos 30% das publicações, informou a agência Câmara.
Segundo o coordenador do grupo técnico de Meio Ambiente da Associação Brasileira de Celulose e Papel (Bracelpa), Robinson Cannaval, seria preciso aumentar a produção de papel reciclado em 200 mil toneladas por ano para cumprir o Projeto de Lei 2308/07 que tramita na Câmara dos Deputados.
O Brasil consome em torno de 8 milhões de toneladas de papéis por ano. Disto, 45%, ou seja, um pouco menos de 4 milhões de toneladas, é de papel reciclado, segundo dados da Bracelpa. Um aumento de 200 mil toneladas representaria um aumento de produção de cerca de 5%.
Cannaval participou da audiência pública no dia 3 de abril na Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável da Câmara. O especialista disse que o país não tem capacidade para coletar aparas de papel que sejam recicladas em quantidade suficiente para atender à demanda do projeto, e, portanto, teria que recorrer à importação de sobras.
Do outro lado, o representante das papeleiras defendeu que o papel branco produzido no Brasil é ecologicamente eficiente. "A principal matéria-prima do papel branco advém de florestas plantadas, quie têm manejo sustentável" afirmou. "Essa matéria-prima, além de renovável, consome gás carbônico, principal responsável pelo efeito estufa".
Para o diretor da Associação Brasileira de Editores de Livros (Abrelivros), Frederico Wickert, que também participou da audiência, o problema é a durabilidade do papel reciclado. Mais da metade dos livros editados no país tem finalidade didática, explicou, e tem que durar pelo menos três anos.
De acordo com o diretor, não há comprovação técnica de que o papel reciclado tenha a mesma resistência do papel não reciclado. Ele disse ainda que o livro produzido com papel reciclado seria 30% mais caro.
O projeto de lei começa ser discuto em meio ao crescimento do setor papeleiro no Brasil, com projeção alta de mais de 3% no consumo, 14% na exportação e investimentos planejados de US$ 8 bilhões para expansão no setor entre 2008 e 2012, segundo dados da Bracelpa. No entanto, o Brasil é um anão em consumo de papel, com uma média de 41 Kg por habitante por ano, 12% do consumo da Finlândia e 14% do consumo dos Estados Unidos.
A deputada Rebecca Garcia (PP-AM), que solicitou a audiência, já tinha feito um parecer favorável à aprovação, mas retirou o relatório de pauta para ouvir as opiniões de especialistas da área. Ela afirmou que ainda precisa coletar mais informações e admite mudar o parecer. Para isso, a parlamentar ainda vai esperar outros dados que a indústria do papel reciclado prometeu enviar.
"Queremos fazer uma política ambientalmente correta, como o Brasil tem adotado, mas também não queremos prejudicar ninguém," disse. Ela espera já ter o relatório pronto até o final da semana que vem (11 de abril).
Segundo o autor do projeto, deputado Eliene Lima (PP-MT), cada tonelada de papel reciclado poupa 60 árvores e também evita o desperdício de petróleo e água. Ele cita estimativas de que 40% do lixo urbano brasileiro seja constituído de papel.
Depois da análise pela Comissão de Meio Ambiente, o projeto, que tramita em caráter conclusivo, ainda será votado pelas comissões de Educação e Cultura; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.
O Brasil é o sexto maior produtor de celulose do mundo, décimo-segundo produtor de papel e está em décimo lugar em reciclagem de papel. A Alemanha lidera a reciclagem com 75% e o Japão está em segundo lugar com 73%.

Por: Dayane

Fonte: http://www.revistasustentabilidade.com.br/noticias/industria-de-papel-afirma-nao-estar-preparada-para-atender-pl-sobre-uso-de-papel-reciclado

Nenhum comentário:

Postar um comentário