"A logística reversa é processo de planejamento, implementação e controle do fluxo dos resíduos de pós-consumo e pós-venda e seu fluxo de informação do ponto de consumo até o ponto de origem, com o objetivo de recuperar valor ou realizar um descarte adequado. Desta forma, contribuindo para a consolidação do conceito de sustentabilidade no ambiente empresarial, apoiada nos conceitos de desenvolvimento ambiental, social e econômico. " (Patricia Guarnieri)



Crédito da imagem: jscreationzs / FreeDigitalPhotos.net

sábado, 27 de março de 2010

Disposição de Pilhas e Baterias

Trata-se de um assunto muito delicado e pouco discutido. A produção brasileira está passando por uma intensa fase de transformação. Essas mudanças estão relacionadas com as tendências atuais de crescente urbanização, aceleração na comunicação e reestruturação das empresas cada vez mais preocupadas em maximizar a competitividade comercial. O mais notável desse processo tem sido as mudanças ocorridas em relação à descentralização das atividades industriais.
As indústrias mais antigas, que continuam contribuindo com a maior parcela da carga poluidora gerada e elevado risco de acidentes ambientais sendo, portanto, necessário altos investimentos de controle ambiental e custos de despoluição para controlar a emissão de poluentes, do lançamento de efluentes e do depósito irregular. As indústrias tradicionalmente responsáveis pela maior produção de resíduos perigosos são as metalúrgicas, as indústrias de equipamentos eletro-eletrônicos, as fundições, a indústria química e a indústria de couro e borracha. O lançamento dos resíduos industriais perigosos em lixões, nas margens das estradas ou em terrenos baldios o que compromete a qualidade ambiental e de vida da população.
O Brasil produz cerca de 800 milhões de pilhas comuns por ano, o que representa seis unidades por habitante. Energia que circula no Brasil:
-10 milhões de baterias de celular.
-12 mihões de baterias automotivas.
-200 mil baterias industriais.
Dependendo do material pilhas e baterias podem ou não serem jogadas em lixo doméstico. Há 3 tipos de baterias: as que têm chumbo-ácido, níquel-cádmio e óxido de mércurio, são estas que devem ser recolhidas pelas lojas que as comercializam. As de chumbo-ácido são usadas em processos industriais (são grandes baterias) e nos automóveis (ventiladas). Há ainda modelos de câmeras filmadoras que utilizam bateria selada com esse componente, além de aparelhos elétricos, de telefonia, geradores e luzes de emergência. As que contém níquel-cádmio também são usadas em processos industriais e foram empregadas nos primeiros modelos de telefone celular. Hoje são ultrapassadas, mas telefones sem fio ainda as utilizam.
As pilhas secas: zinco-manganês e alcalina-manganês, as mais consumidas para uso doméstico, seus fabricantes: Duracell, Eveready, Kodak, Microlite (Rayovac), Panasonic e Philips, têm operado nos limites estabelecidos pelo artigo 6º da Resolução 257. Podem ir ao lixo doméstico, além desses tipos de pilhas, estão as baterias de níquel-metal-hidreto, de lítio tipo botão e miniatura, lítio-íon e zinco-ar. "O próprio avanço da tecnologia, de conseguir baixar os índices de mércurio, desestimulou iniciativas consistentes de reciclagem de pilhas", como afirma José Arnaldo Gomes, da Dirtoria de Controle Ambiental da CETESB. No Brasil uma empresa chamada SUZAQUIM anuncia que detém um processo para reciclagem de baterias de Ni-Cd. Na Escola Politécnica desenvolve-se estudos há mais de 3 anos sobre reciclagem de pilhas e baterias.
No Brasil, a cada ano são desperdiçados R$ 4,6 bilhões porque não se recicla tudo o que poderia. A cidade de São Paulo produz mais de 12.000 toneladas de lixo por dia, com este lixo, em uma semana dá para encher um estádio para 80.000 pessoas. Deve-se lembrar que uma só a pilha contamina o solo durante 50 anos. As pilhas incorporam metais pesados tóxicos.

Fonte: http://ambientes.ambientebrasil.com.br/residuos/artigos/algumas_informacoes_sobre_disposicao_de_pilhas_e_baterias.html

8 comentários:

  1. Olá Patrícia, Boa noite!

    Meu grupo e eu queremos fazer um trabalho sobre logistica reversa da pilha, porém você cita que existe algumas pilhas que podem ser descartadas em lixo doméstico, mas elas não podem abrir, se caso isso acontece ela pode ser prejudicial ao meio ambiente , correto? e outra situação é que entendemos que logistoca reversa , só é quando o produto volta ao seu fabricante, procede essas informações, não iniciamos o nosso trabalho, pois temos duvidas referente a esses assuntos. Obrigada e aguardo sua resposta. camilahbp@hotmail.com

    ResponderExcluir
  2. Olá Camila, bom dia!
    As pilhas e baterias são altamente tóxicas, pois contém metais pesados em sua constituição, o que as torna prejudiciais à saúde humana, quando descartadas incorretamente no lixo comum, podem contaminar solo e lençóis freáticos e causar várias doenças, entre elas o câncer.
    Com relação à logística reversa, ela administra o fluxo de bens pós-consumo (é o caso das pilhas e baterias) e de pós-venda (produtos devolvidos sem ou com pouco uso como computadores, que contém baterias) do ponto de consumo, reinserindo-os novamente no ciclo de negócios e/ou produtivo. Isso significa que independente de o produto voltar para quem o fabricou, a logística reversa deve ser realizada, é o que estabelece a PNRS, portanto se o fabricante não se responsabilizar pelos resíduos que gera pode ser multado. Muitas vezes não é viável economicamente que o próprio fabricante realize a logística reversa, então ela pode ser realizada por uma empresa terceirizada ou o resíduo pode ser doado.
    Enviarei materiais a respeito no seu e-mail, ok?
    Se tiver mais dúvidas poste aqui e logo responderei.
    Abraços,

    ResponderExcluir
  3. Boa noite Patricia Guarnieri.

    Quero abrir uma empresa de logistica reversa de pilhas e baterias de celular, tenho duvidas, primeiro quero saber como armazenar, para onde eu mando, como eu ganharia nisso, quem me pagaria e quanto, fico na espera, guiadaniel@hotmail.com

    ResponderExcluir
  4. Prezado Daniel,
    Para obter estas informações você provavelmente terá que contratar uma consultoria para elaborar o seu plano de negócios.
    Não tenho como lhe fornecer todas estas informações.
    att,

    ResponderExcluir
  5. Ana Paula Guedes3 de maio de 2012 22:28

    Olá Patrícia, tudo bem?
    Estou fazendo um trabalho para a faculdade sobre logística reversa. Fiquei muito interessada no seu blog e queria saber se você têm alguns materiais que possa vir a me enviar.
    Agradeço desde já, Ana Paula Guedes.
    anapaulapereiradeassis@hotmail.com

    ResponderExcluir
  6. Olá Ana Paula,
    Enviei alguns materiais no seu e-mail, caso necessite de algo mais específico, poste aqui no blog e logo responderei ok? Visite as páginas do menu do topo da página, há materiais grátis, revistas, dicas de livros e sites uteis.
    Abçs

    ResponderExcluir
  7. Patricia, boa tarde. Estou fazendo meu TCC sobre logistica reversa e reciclagem de pilhas e baterias na cidade de são paulo, gostaria de saber se você pode nos ajudar com alguma matéria.
    meu email é: jluiz_pereira@yahoo.com.br
    Obrigado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Enviei materiais no seu e-mail, espero que sejam úteis. Além disso, indico meu livro sobre LR, você pode encontrá-lo no link: https://www.clubedeautores.com.br/book/44969--Logistica_Reversa
      Ou clicando sobre a imagem do livro no topo do blog. Além disso verifique no menu do topo da página, há dicas de livros, sites úteis, links para baixar materiais grátis.
      abçs,Patricia

      Excluir