"A logística reversa é processo de planejamento, implementação e controle do fluxo dos resíduos de pós-consumo e pós-venda e seu fluxo de informação do ponto de consumo até o ponto de origem, com o objetivo de recuperar valor ou realizar um descarte adequado. Desta forma, contribuindo para a consolidação do conceito de sustentabilidade no ambiente empresarial, apoiada nos conceitos de desenvolvimento ambiental, social e econômico. " (Patricia Guarnieri)



Crédito da imagem: jscreationzs / FreeDigitalPhotos.net

sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

O papel do líder na inclusão da sustentabilidade nos negócios - Entrevista com Alessandro Carlucci da Natura

"Inspire-se no novo. O que foi feito até agora tem seu valor, mas precisamos reconhecer que não foi feito da melhor maneira." A dica para os jovens líderes do país é de Alessandro Carlucci, diretor-presidente da Natura e um dos 10 novos integrantes da Plataforma Liderança Sustentável, que comenta os aprendizados e iniciativas de sua organização no tema em depoimento exclusivo.
Líder de uma empresa reconhecida por valores e práticas sustentáveis, Carlucci provoca aqueles que ainda não se convenceram dos benefícios da inserção do triple bottom line no negócio. "Para alguém que não quer se envolver com isso, trabalhar na Natura seria um inferno", ironizou. Na companhia, praticamente todos os gestores passam por um workshop sobre o tema durante cerca de três a quatro dias, quando discutem desde as teorias a exemplos e práticas.
Segundo Carlucci, o papel do líder é o de fazer a sustentabilidade acontecer dentro do negócio. Para tanto, muitas vezes terá de tomar decisões rápidas, mas nunca superficiais, o que representa um grande desafio. Pensando nisso, ele compartilha seus aprendizados ao longo de sua experiência com o tema na Natura. "A primeira dica é colocar a sustentabilidade no começo da conversa. Se deixar para os 44 minutos do segundo tempo, ela não entrará nas decisões", afirma.
"Assumir a complexidade da questão e entender que não existem fórmulas de sucesso também é importante. É preciso parar e pensar – um exercício excelente para aprender –, acreditar no tema e investir nele", complementou.
Nesse sentido, Carlucci cita um case interessante. Há pouco mais de sete anos, a Natura ainda fazia testes em animais, pois, além de ser a única técnica existente no setor, era exigência dos órgãos regulatórios. Quando deixou de ser obrigação, a empresa decidiu que investiria recursos para criar testes alternativos. Foi definida uma meta – atingida com sucesso – de dois anos para encerrar os procedimentos. "O importante é colocar um objetivo e correr atrás. Tudo ainda está por se construir nessa área", afirmou.

Assista ao vídeo clicando na imagem:


Fonte do artigo: Portal Administradores
Fonte do vídeo: Idéia Sustentável

2 comentários:

  1. Perfeito seu comentário Alexandre Caixeta, realmente nos dias de hoje, não há mais espaço para empresas orientadas somente para o lucro, sem pensar no equilíbrio econômico, ambiental e social. Os futuros líderes devem estar cientes de que estas variáveis devem ser incorporadas aos negócios.

    ResponderExcluir
  2. Alexandre Caixeta Albuquerque8 de dezembro de 2012 10:06

    Como disse Alessandro Carlucci o momento que você aplica as práticas sustentáveis é importante para que isso deixe de ser valor e passe a ser pedágio, penalidade. Ninguém pede pra nenhuma empresa diminuir seus lucros ou não focar no negócio, o que se tem necessidade de haver hoje em dia é a consciência de mesclar as práticas aliadas ao meio ambiente, agregando valor ao negócio (o que gerará lucro) com o desenvolvimento do mercado. Um não anula o outro. A mentalidade focada apenas na produção e não levando em conta os resultados sociais e ambientais ficaram (ou deveriam ter ficado) no começo da revolução industrial.

    ResponderExcluir