"A logística reversa é processo de planejamento, implementação e controle do fluxo dos resíduos de pós-consumo e pós-venda e seu fluxo de informação do ponto de consumo até o ponto de origem, com o objetivo de recuperar valor ou realizar um descarte adequado. Desta forma, contribuindo para a consolidação do conceito de sustentabilidade no ambiente empresarial, apoiada nos conceitos de desenvolvimento ambiental, social e econômico. " (Patricia Guarnieri)



Crédito da imagem: jscreationzs / FreeDigitalPhotos.net

sábado, 1 de dezembro de 2012

Assista o vídeo sobre o maior lixão de eletroeletrônicos do mundo em Gana na África

No maior lixão de eletroeletrônicos do mundo, em Gana na Africa, materiais eletroeletrônicos descartados pelos países ricos viram meio de sobrevivência para milhares de pessoas. As pessoas que manuseiam estes resíduos, são chamados de "garimpeiros do lixo", os quais buscam tesouros como ouro, prata e cobre escondidos no entulho, no entanto o fazem sem a utilização de equipamentos individuais de proteção (EPIs) e sem controle algum do impacto ambiental. Este manuseio inadequado ocasiona a contaminação das pessoas que trabalham com estes resíduos e pode gerar câncer, problemas na reprodução, entre outros. Além da contaminação da população, os rebanhos de bovinos e outros animais que fornecem a alimentação para a população também são contaminados. 
Estes materiais chegam até o Porto de Gana como doação, vinda de países da Europa, EUA, Canadá, entre outros, no entanto apenas 10% chegam com condições de funcionamento; outros 10% são remanufaturados e 80% sem condições de uso, sendo assim descartados no lixão. Fato este incentivado pela falta de legislações ambientais restritivas no país. Cabe ressaltar que a exportação de lixo entre países não é permitida por convenções internacionais, porém, tendo em vista que no documento de importação estes resíduos são descritos como equipamentos eletroeletrônicos com condições de uso, doados para populações carentes, este fato se repete em países como África, China e Índia. 
É uma situação complicada, pois se por um lado, o impacto ambiental é lastimável, esta é também a única forma da população ter acesso a este tipo de tecnologia e gerar renda com a venda dos metais preciosos constantes nos resíduos.

CLIQUE SOBRE A IMAGEM PARA ASSISTIR O VÍDEO DA MATÉRIA COMPLETA


Por: Patricia Guarnieri para o Blog Logística Reversa e Sustentabilidade
Fonte do vídeo: Rede Record

Nenhum comentário:

Postar um comentário