"A logística reversa é processo de planejamento, implementação e controle do fluxo dos resíduos de pós-consumo e pós-venda e seu fluxo de informação do ponto de consumo até o ponto de origem, com o objetivo de recuperar valor ou realizar um descarte adequado. Desta forma, contribuindo para a consolidação do conceito de sustentabilidade no ambiente empresarial, apoiada nos conceitos de desenvolvimento ambiental, social e econômico. " (Patricia Guarnieri)



Crédito da imagem: jscreationzs / FreeDigitalPhotos.net

domingo, 30 de setembro de 2012

Programa de logística reversa da Unilever já reciclou mais de 17 mil equipamentos desde sua criação, em 2010.

Anualmente, cerca de 7 mil conservadoras de sorvete Kibon chegam ao final de sua vida útil. Tem início, então, um complexo programa de logística reversa desenvolvido desde 2010 pela Unilever para assegurar que todos os componentes presentes nesses equipamentos recebam um destino ambientalmente adequado.
A complexidade desse trabalho está ligada a uma série de fatores, a começar pela quantidade de conservadoras instaladas em um número enorme de pontos de venda em todo o país que vão desde grandes supermercados a pequenos estabelecimentos. "Essa dificuldade se amplia em função da variedade de materiais existentes em uma conservadora e da premissa que definimos de buscar o aproveitamento máximo de cada item. Alguns componentes – como os gases refrigerantes – exigem mão-de-obra e procedimentos especializados. Nos equipamentos mais antigos, ainda pode-se encontrar gases HCFC e HFC, por isso a Unilever iniciou em 2006 a substituição das conservadoras por modelos com gás refrigerante HC que não afeta a camada de ozônio", comenta Juliana Marra, gerente de Assuntos Governamentais da empresa. Esta iniciativa faz parte do PPCS – Plano de Produção e Consumo sustentável, lançado pelo Ministério do Meio Ambiente.
Múltiplos usos
A solução encontrada pela Unilever está estruturada a partir da parceria com a DMM Refrigeração. O processo consiste em retirar as conservadoras, desmontá-las, separar seus materiais (como chapas de ferro e cobre, vidro, plásticos, lâmpadas e leo refrigerante) e direcioná-los para empresas recicladoras. Além disso, quando em bom estado, algumas peças – como compressores, termostatos, tampas, puxadores e grades – podem ser reutilizadas na manutenção de outros equipamentos. 
O programa, cujo objetivo é reciclar 7 mil conservadoras por ano, já foi estendido a todo o Brasil, com exceção da Região Nordeste que é atendida por outro operador. "Todos os itens das conservadoras são reutilizados ou reciclados. A partir da DMM
Refrigeração, vários parceiros são envolvidos no processo, dando o destino correto aos diferentes materiais", destaca Juliana. "A operação segue normas da área de Meio Ambiente da Unilever, da Cetesb e do Ibama e possui certificações específicas para cada destinação, o que assegura a adequação e a qualidade dos procedimentos seguidos."

Fonte: CEMPRE

Nenhum comentário:

Postar um comentário