"A logística reversa é processo de planejamento, implementação e controle do fluxo dos resíduos de pós-consumo e pós-venda e seu fluxo de informação do ponto de consumo até o ponto de origem, com o objetivo de recuperar valor ou realizar um descarte adequado. Desta forma, contribuindo para a consolidação do conceito de sustentabilidade no ambiente empresarial, apoiada nos conceitos de desenvolvimento ambiental, social e econômico. " (Patricia Guarnieri)



Crédito da imagem: jscreationzs / FreeDigitalPhotos.net

terça-feira, 13 de março de 2012

Comitê Orientador da Logística Reversa vai definir a regulamentação para a logística reversa dos resíduos constantes na PNRS

Nos próximos quatro meses, o Comitê Orientador da Logística Reversa, vai definir a regulamentação das regras para devolução de lixo como pilhas, lâmpadas, eletrônicos e embalagens de agrotóxicos. O comitê, que faz parte da Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), também vai deliberar sobre a forma de realização de consulta pública relativa à proposta de implementação desse sistema.
O Comitê Orientador é composto pelos ministérios do Meio Ambiente ; da Saúde ; doDesenvolvimento, Indústria e Comércio (Mdic) , da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) ; e da Fazenda .
A ministra do Meio Ambiente e presidente do comitê, Izabella Teixeira, afirmou que a solução para a questão dos resíduos sólidos não depende só do setor produtivo, mas envolve o governo e a sociedade e pressupõe mudança de comportamento. Segundo ela, a lei determina que as empresas são responsáveis pelos resíduos que gera.
De acordo com a regulamentação da PNRS, a logística reversa tem por objetivo a implementação da responsabilidade compartilhada pelo ciclo de vida dos produtos. A lei estabelece a obrigatoriedade de estruturação e implementação de sistema para as cadeias produtivas de agrotóxicos (seus resíduos e embalagem), pilhas e baterias, pneus, óleos lubrificantes (seus resíduos e embalagens), lâmpadas fluorescentes (de vapor de sódio e mercúrio e de luz mista), e produtos eletroeletrônicos e seus componentes.
Os sistemas de logística reversa serão implementados por meio de acordos setoriais, regulamentos expedidos pelo Poder Público ou termos de compromisso. O Comitê Orientador será assessorado por um grupo técnico.

2 comentários:

  1. Continuamos sem saber a estratégia logística de estrutura para viabilidade de retorno destes materiais. O gargalo logístico em se tratando de sociedade ainda é muito grande. Serão necessários muitos meses de conscientização para que realmente a sociedade tenha condições de respeitar o acordo setorial e participar da responsabilidade compartilhada disponibilizando de forma adequada o resíduo gerado ao sistema coletor, seja ele, por cooperativas ou propriamente das empresas geradoras, criando canal reverso para reuso ou reciclagem destes sub-produtos gerados. Não vejo politicas trabalhando em conjunto, a PNRS ainda está longe das escolas, a lei exige, porem em pratica ainda vemos a quebra destes canais de informação. O seu BLOG tem mais acesso que o site do MMA, pode ter certeza. Isso prova o grande gargalo e desinteresse da sociedade em se tratando de retorno de sub-produtos.

    ResponderExcluir
  2. Olá Renato,
    Obrigada pela visita e comentário no blog. Infelizmente não está havendo muita divulgação em relação às iniciativas de LR, estabelecidadas pela PNRS. Além dos grupos de trabalho realizados por região não vejo programas de educação ambiental realizados, e isso seria essencial.
    Abçs

    ResponderExcluir