"A logística reversa é processo de planejamento, implementação e controle do fluxo dos resíduos de pós-consumo e pós-venda e seu fluxo de informação do ponto de consumo até o ponto de origem, com o objetivo de recuperar valor ou realizar um descarte adequado. Desta forma, contribuindo para a consolidação do conceito de sustentabilidade no ambiente empresarial, apoiada nos conceitos de desenvolvimento ambiental, social e econômico. " (Patricia Guarnieri)



Crédito da imagem: jscreationzs / FreeDigitalPhotos.net

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Condomínio logístico implementado em Campinas-SP possui selo Green Building

A desenvolvedora de empreendimentos imobiliários GR Properties anunciou, no dia 1º de setembro, a implantação do condomínio logístico GR Campinas 2, em parceria com a Qopp Incorporadora, com previsão de entrega para o segundo semestre de 2012.
Segundo Guilherme Rossi, diretor-geral da GR Properties, a demanda de clientes no condomínio GR Campinas, que será entregue em novembro deste ano, justifica os investimentos – de cerca de R$ 70 milhões – no novo empreendimento. “Chegamos ao ponto de ter fila de espera por módulos. Por isso decidimos construir um novo condomínio na mesma região”, conta o executivo.
Com porte semelhante, o GR Campinas 2 estará localizado a cerca de um quilômetro de distância do primeiro empreendimento, em um terreno de 72 mil m². O condomínio contará com área total construída de 36,5 mil m² e destina-se a empresas de logística, transportadoras, distribuidoras e indústria leve.
O GR Campinas 2 será composto por 21 módulos flexíveis com piso de alta resistência nivelado a laser, ligação direta a quatro docas elevadas, possibilidade de área técnica externa, mezanino, caixa d’água individual, isolamento termoacústico, iluminação zenital e renovadores de ar.
Assim como o GR Campinas, o novo espaço seguirá as normas internacionais exigidas pelo United States Green Building Council (USCBG) para a obtenção do selo Leadership in Energy and Environmental Design (LEED), concedido a construções que provocam baixo impacto ambiental. “Hoje, as empresas já incluíram a responsabilidade ambiental em suas agendas e, por isso, procuram se instalar em locais que permitam que esse pensamento seja posto em prática. Esse é um dos motivos para a resposta positiva que tivemos do mercado”, explica Rossi.
Entre os requisitos para obtenção do selo verde estão a gestão de resíduos da obra, redução no consumo de água, eficiência energética, depósito de recicláveis, controle de fumaça, utilização de madeira certificada, iluminação natural e possibilidade de acesso por meio de transporte público.

Nenhum comentário:

Postar um comentário