"A logística reversa é processo de planejamento, implementação e controle do fluxo dos resíduos de pós-consumo e pós-venda e seu fluxo de informação do ponto de consumo até o ponto de origem, com o objetivo de recuperar valor ou realizar um descarte adequado. Desta forma, contribuindo para a consolidação do conceito de sustentabilidade no ambiente empresarial, apoiada nos conceitos de desenvolvimento ambiental, social e econômico. " (Patricia Guarnieri)



Crédito da imagem: jscreationzs / FreeDigitalPhotos.net

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

Analisando a incineração: vantagens e desvantagens - Baixe grátis o livro que trata dos 100 anos de incineração da Dinamarca

Fonte: myzerowaste.com
A incineração de resíduos sólidos é um tema bastante controverso e complexo e está ganhando muito espaço nas discussões em todos os eventos que tratam de sustentabilidade. Este meio de tratamento dos resíduos é um dos canais reversos que podem ser utilizados na gestão de resíduos.
Trata-se de um processo de destruição térmica realizado sob alta temperatura - 900 a 1200 ºC com tempo de residência controlada - e utilizado para o tratamento de resíduos de alta periculosidade, ou que necessitam de destruição completa e segura.
Nesta tecnologia ocorre a decomposição térmica via oxidação à alta temperatura da parcela orgânica dos resíduos, transformando-a em uma fase gasosa e outra sólida, reduzindo o volume, o peso e as características de periculosidade dos resíduos (ESSENCIS, 2011).
Os materiais provenientes deste processo devem ser tratados com  modernas tecnologias antes de sua destinação final. As escórias e cinzas devem ser dispostas em Aterro próprio, os efluentes líquidos encaminhados para estação de tratamento, e os gases oriundos da queima tratados e monitorados sob os seguintes parâmetros: vazão, temperatura, níveis de O2,CO e também índices de NOx, SOx e materias particulado (ESSENCIS, 2011)
As vantagens da incineração são: 
  • reduz o volume do lixo;
  • destrói as características perigosas do lixo, por isso ela é indicada quando o lixo possui alta periculosidade como é parte do lixo hospitalar e industrial;
  • destrói a matéria orgânica do lixo e o esteliriza;
  • a energia calorífica proveniente do processo de incineração pode ser transformada em vapor ou em eletricidade.
  • possui flexibilidade na forma de recebimento dos resíduos (tambores, bombonas, caixas, fardos, sacos e big bags).
No entanto, como em qualquer processo, existem também desvantagens, as quais  são:
  • o processo de incineração exige a presença de pessoas treinadas;
  • a incineração libera gases que podem poluir a atmosfera provocando impactos ambientais;
  • os gases resultantes da incineração são bastante tóxicos, por isso devem passar por um processo de tratamento;
  • a escória resultante da incineração também deve ser tratada;
  • todos os itens selecionados acima causam um encarecimento do processo de incineração, fato que – além da poluição – pode torná-lo inviável.
Uma variante da incineração é denominada co-incineração. Nesse caso, são usados fornos industriais para a queima dos resíduos. Esse processo traz vantagens como a redução dos custos do processo. Enquanto uma incineradora clássica deve desembolçar uma alta quantia de dinheiro para a realização da manutenção, uma incineradora industrial tem custos reduzidos e muitas delas possuem meios para transformar a energia calorífica em eletricidade, além de filtros que evitam a contaminação atmosférica. (Blog Fortaleza).
Dessa forma, a incineração é um processo  considerado dispendioso e em alguns casos, quando não executado corretamente, é altamente poluente. Para controlar todas as emissões, não causando danos à saúde, requer altos investimentos. 
Existem casos de países que utilizam totalmente este processo para tratar seus resíduos sólidos, como é o caso da Dinamarca, que completa 100 anos de utilização da incineração de lixo.

Conheça detalhadamente o caso dos 100 anos de incineração do lixo na Dinamarca, baixe grátis o livro que trata deste tema: CLIQUE AQUI

Por: Patrícia Guarnieri para o Blog Logística Reversa e Sustentabilidade 



Nenhum comentário:

Postar um comentário