"A logística reversa é processo de planejamento, implementação e controle do fluxo dos resíduos de pós-consumo e pós-venda e seu fluxo de informação do ponto de consumo até o ponto de origem, com o objetivo de recuperar valor ou realizar um descarte adequado. Desta forma, contribuindo para a consolidação do conceito de sustentabilidade no ambiente empresarial, apoiada nos conceitos de desenvolvimento ambiental, social e econômico. " (Patricia Guarnieri)



Crédito da imagem: jscreationzs / FreeDigitalPhotos.net

domingo, 28 de agosto de 2011

Projetos de reciclagem contribuem para a logística reversa de pilhas e baterias - Brasil recolhe em 2010 cerca de 8 milhões de pilhas e baterias

No mesmo ano em que a Política Nacional de Resíduos Sólidas (PNRS) foi sancionada, 2010, foram recolhidas cerca de 8 milhões de pilhas e baterias no Brasil e recicladas cerca de 8 mil. A informação foi prestada pela gerente de Resíduos Perigosos do MMA, Zilda Veloso, nesta quinta-feira (25/8) na Comissão de Assuntos Sociais, do Senado.
A logística reversa - ou seja, a obrigatoriedade de recolhimento de embalagens ou dos próprios produtos fabricados depois de usados pelo consumidor - está prevista não apenas na PNRS, mas também no Decreto 7404/10 e na Resolução 401/08 do Conselho Nacional de Meio Ambiente, disse a gerente.
Pilhas e baterias estão entre os produtos citados no artigo 33 da PNRS. Também estão explícitos pela legislação os pneus, as lâmpadas fluorescentes de vapor de sódio e mercúrio e de luz mista, resíduos e embalagens de agrotóxicos e de óleos lubrificantes, embalagens em geral e os produtos eletroeletrônicos e seus componentes.
"Já temos no País 1.800 pontos de recolhimento de pilhas e baterias. Falta ainda que os consumidores se habituem a entregá-las", comentou Zilda Veloso. Ela afirmou que esses produtos contêm metais pesados prejudiciais ao meio ambiente. "Principalmente as pilhas comuns e especialmente aquelas compradas no comércio irregular", advertiu.
A gerente de Resíduos Perigosos ressaltou que o Programa de Consumo Sustentável, do MMA, assim como a PNRS, estão promovendo mudanças no padrão de consumo dos brasileiros, e que o ministério está em campanha educativa para que a população passe a selecionar o lixo doméstico para encaminhá-lo a reciclagem.  (Fonte:  Jornal do dia )
Cabe aqui destacar que alguns projetos neste sentido têm contribuídos para a elevação destes índices, os quais são soluções propostas pela iniciativa privada e são um exemplo para o setor, e o interessante é que são projetos de empresas que não atuam no setor, mas que perceberam a necessidade de contribuir para a preservação do meio ambiente. 
O mais conhecido deles é o Papa-Pilhas – Programa de Reciclagem de Pilhas, Baterias e Celulares foi criado pelo Banco Real em 2006, adquirido recentemente pelo Banco Santander, e tem o objetivo de recolher pilhas, baterias portáteis e celulares que não servem mais e encaminhá-los para a reciclagem. Para isso, existem postos de coleta nas agências e prédios administrativos do Banco Santander. Todas as pilhas e baterias recolhidas pelo Papa-Pilhas são transportadas pela empresa ADS Micrologística especializada em logística reversa desde 2003, a reciclagem é feita pela empresa Suzaquim, instalada em Suzano – SP. 
A Drogaria São Paulo também possui um projeto de coleta de pilhas e baterias, o qual foi criado em 2004. A rede recolhe pilhas e baterias usadas em 241 unidades do Estado de São Paulo, as quais possuem coletores de pilhas. Desde o início do projeto, a rede já recolheu cerca de 85 toneladas de pilhas e baterias usadas, as quais encaminhou para a reciclagem.
O Projeto Recarga Verde é uma iniciativa da ADS Micrologística, e realiza a coleta de pilhas, baterias e outros inservíveis eletrônicos em escolas e colégios. O principal objetivo do projeto é incentivar alunos, educadores e familiares a praticar a coleta e a reciclagem. 
Além do Projeto Recarga Verde, a empresa ADS Micrologística possui o projeto Participe e Recicle voltado às empresas de diversos ramos em todo o Brasil, às quais oferece soluções integradas para o processo de coleta de pilhas, baterias e outros resíduos tecnológicos.  (Fonte: Patricia Guarnieri - 2011 - Livro Logística  Reversa: em busca do equilíbrio econômico e ambiental, Ed. Clube de Autores).
Por: Patrícia Guarnieri para o Blog Logística Reversa e Sustentabilidade

Nenhum comentário:

Postar um comentário