"A logística reversa é processo de planejamento, implementação e controle do fluxo dos resíduos de pós-consumo e pós-venda e seu fluxo de informação do ponto de consumo até o ponto de origem, com o objetivo de recuperar valor ou realizar um descarte adequado. Desta forma, contribuindo para a consolidação do conceito de sustentabilidade no ambiente empresarial, apoiada nos conceitos de desenvolvimento ambiental, social e econômico. " (Patricia Guarnieri)



Crédito da imagem: jscreationzs / FreeDigitalPhotos.net

terça-feira, 19 de julho de 2011

Embalagens não sustentáveis - Um verdadeiro problema na gestão de resíduos

As embalagens não sustentáveis são um dos maiores problemas na gestão de resíduos sólidos. Todas estas embalagens compostas por mais de uma matéria-prima são difíceis de serem revalorizadas e de pouco interesse para a maioria dos recicladores e também catadores de materiais recicláveis. 
Com certeza as embalagens de comprimidos são exemplos de planejamento que não considera o ciclo de vida da embalagem do berço ao berço, conceito que atualmente é o mais desejável pelo ponto de vista ambiental. Além destas embalagens podemos citar inúmeras outras como: embalagens de frios (embutidos), embalagens de molhos de tomate (que apesar de não perceptível contém plástico e alumínio), embalagens de salgadinho, etc. Existem também outras embalagens que são feitas de materiais que não podem ser reutilizados novamente para o mesmo fim, como é o caso da maioria dos plásticos. 
Neste caso a melhor atitude do consumidor consciente, enquanto não há atitudes por parte dos gestores das empresas, é escolher dentre as opções de embalagens, aquelas que são mais sustentáveis, como por exemplo, no caso de medicamentos, se houver opções de comprar os comprimidos em uma embalagem mista (plástico + alumínio) e em uma embalagem de vidro, o correto é dar preferência a de vidro que é 100% reciclável depois de descontaminada. 
No caso dos molhos de tomate, devo escolher embalagens de vidro ou alumínio/aço, as quais também são 100% recicláveis no lugar de embalagens mistas (plástico + alumínio). 
O exemplo da embalagem Longa Vida, mais conhecida pela Marca Tetra Pak, ilustra bem como atitudes empresariais sustentáveis podem contribuir para a resolução deste problema. Este tipo de embalagem até alguns poucos anos atrás era vista como pouco atraente para reciclagem, tendo em vista conter 3 materiais agregados (plástico, papel e alumínio), isso se deflagrou na quantidade destas embalagens nos lixões e áreas urbanas. 
Então, como o aumento da visibilidade dos problemas ambientais causados por suas embalagens, a empresa Tetra Pak em parceria com a Klabin, Alcoa e TSL criou a tecnologia Plasma,  para reciclar tais embalagens, a qual agrega maior valor às embalagens, se constituindo em um caso claro de upcycling. Além disso, vários empreendedores criaram produtos que utilizam este resíduo sem a separação, como placas de isolamento para construção civil, telhas, brindes, etc. 
Ou seja, há soluções economicamente viáveis  para resolver este tipo de problema, basta somente a iniciativa dos setores específicos e a conscientização da população. Pois se nós consumidores,  deixarmos de consumir este tipo de embalagens, estaremos pressionando os fabricantes a encontrar soluções mais sustentáveis.

Por: Patricia Guarnieri - Blog Logística Reversa e Sustentabilidade

Nenhum comentário:

Postar um comentário