"A logística reversa é processo de planejamento, implementação e controle do fluxo dos resíduos de pós-consumo e pós-venda e seu fluxo de informação do ponto de consumo até o ponto de origem, com o objetivo de recuperar valor ou realizar um descarte adequado. Desta forma, contribuindo para a consolidação do conceito de sustentabilidade no ambiente empresarial, apoiada nos conceitos de desenvolvimento ambiental, social e econômico. " (Patricia Guarnieri)



Crédito da imagem: jscreationzs / FreeDigitalPhotos.net

quarta-feira, 8 de junho de 2011

Projeto Laranja Azul - Blue Orange Project - Logística Reversa de lacres de malotes bancários

O projeto objetiva a coleta e destinação ambientalmente adequada de material plástico, especificamente lacres plásticos de segurança, pós-uso, utilizados diariamente nos malotes bancários, amparado pela Logística para Reciclagem.
O ciclo de degradação do resíduo plástico é extremamente longo (aproximadamente 450 anos), e atualmente é o mais volumoso encontrado nos lixões e aterros sanitários. Sua incineração produz gases tóxicos e corrosivos, e sendo a matéria prima mais utilizada no mundo, torna-se insustentável sua disposição em aterros sanitários. Isso nos leva a agir para reduzir o descarte indevido, destinando-o à reciclagem e conseqüentemente reutilização, objetivando manter formas sustentáveis para sua destinação.
Seu objetivo é estabelecer internamente uma rede sustentável de Logística para Reciclagem, a custo zero, para reciclagem dos plásticos, visando contribuir de maneira consistente com a sustentabilidade econômica, social e ambiental em consonância às Políticas de Responsabilidade Social Empresarial e Política Ambiental Corporativa da CAIXA.
O projeto consiste em um sistema de coleta e transporte reverso do citado material utilizado pela CAIXA, que é confeccionado em plástico rígido, denominado LACRE DE SEGURANÇA, utilizando o transporte nos malotes internos da Logística de Distribuição CAIXA, e encaminhamento do material para reciclagem, assegurando o descarte responsável, minimizando e restringindo o impacto ambiental negativo.
A CAIXA usa este tipo de material nos malotes que transitam internamente na empresa, e também nos malotes de clientes, que transitam externamente. A quantidade utilizada anualmente perfaz 33 toneladas de plástico.
A GIMAT LOGÍSTICA DE DISTRIBUIÇÃO RIBEIRÃO PRETO iniciou este projeto em setembro de 2008. No mês de NOVEMBRO/2009 foram coletados 690,70 kg e até o momento foram recolhidos 5.484,10 Kg de lacres, os quais foram corretamente destinados para reciclagem.
Pode parecer pouco se pensarmos em apenas um lacre, que pesa cerca de 1,5 g mas para uma instituição financeira do porte da CAIXA, demais bancos e empresas que consomem o produto isso representa um elevado descarte.
O produto recolhido é doado à ONG Moradia e Cidadania www.moradiaecidadania.org.br que efetua a venda a empresas recicladoras, revertendo a receita financeira aos seus programas sociais
Os lacres consumidos pela CAIXA são confeccionados nas cores Laranja (malotes externos de clientes), e Azul (malotes internos que transitam entre suas dependências), daí a denominação do projeto “Laranja Azul”.
Comprovamos a inexistência de dificultadores ou pontos críticos operacionais para a implementação do projeto, visto que, os procedimentos para a coleta, transporte e entrega à recicladora não exigiram alterações nos padrões da logística interna.
Sendo assim, 80% das 3.530 Unidades CAIXA (agências e áreas departamentais/ administrativas) já participam do projeto, abrangendo os estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Minas Gerais, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás, Brasília, ou seja, as regiões sul, sudeste e centro-oeste do Brasil.
As regiões norte e nordeste, 20% das dependências da CAIXA, estão em fase de implantação, prevendo-se que dentro de 60 dias o modal estará em operação nessas regiões.
Tendo em vista a simplicidade da operacionalização e divulgação do projeto no meio bancário, outras instituições financeiras engajaram-se na causa, tornando-se parceiros conscientes, recolhendo seus lacres pós-uso para correta destinação: BANCO DO BRASIL/GEREL/SP, GEREL/RJ, GEREL/MG, GEREL/ES, BANESTES/ES, CITIBANK Brasil, BESC/Santa Catarina, BANCO NOSSA CAIXA, ATP Brasil, SICREDI/RS, SANTANDER/RJ, além das transportadoras parceiras que executam os transportes de malotes terrestres e aéreos para os bancos por intermédio do denominado sistema TCM – Transporte Compartilhado de Malotes, gerido pela FEBRABAN – Federação Brasileira de Bancos.

5 comentários:

  1. Excelente iniciativa!
    Parabéns a sustentabilidade não deve ser encarada do ponto de vista meramente marqueteira, ela sim deve ser encarada com seriedade e o exemplo fica claro que pode e deve ser feito com responsabilidade.

    ResponderExcluir
  2. Realmente é um projeto excelente, muitas vezes esquecemos destes resíduos que não são muito volumosos e que não estão presentes no nosso cotidiano, no entanto conforme foi citado se considerarmos o volume gerado por diversas instituições o impacto é enorme, projetos como este fazem diferença.

    ResponderExcluir
  3. Prezada Patrícia e Francisco: agradecemos os elogios sobre nosso PROJETO LARANJA AZUL. São quase 25 toneladas de um objeto que pesa em torno de um grama e meio. Quaisquer informações, estamos à disposição. Forte abraço, Luiz Carlos.

    ResponderExcluir
  4. Prezada Patrícia e Francisco: agradecemos os elogios sobre nosso PROJETO LARANJA AZUL. Já estamos atingindo a marca de 25 toneladas recolhidas para reciclagem, lembrando sempre, que cada objeto/lacre plástico pesa em torno de um grama e meio. À disposição para maiores informações do andamento do Projeto. Forte abraço. Luiz Carlos

    ResponderExcluir
  5. Olá Luiz Carlos, tudo bem?
    Parabenizo-os novamente pelo projeto! São ações asssim que fazem a diferença.
    Gostaria sim de obter mais informações.
    Abraços e boa semana!

    ResponderExcluir