"A logística reversa é processo de planejamento, implementação e controle do fluxo dos resíduos de pós-consumo e pós-venda e seu fluxo de informação do ponto de consumo até o ponto de origem, com o objetivo de recuperar valor ou realizar um descarte adequado. Desta forma, contribuindo para a consolidação do conceito de sustentabilidade no ambiente empresarial, apoiada nos conceitos de desenvolvimento ambiental, social e econômico. " (Patricia Guarnieri)



Crédito da imagem: jscreationzs / FreeDigitalPhotos.net

domingo, 8 de maio de 2011

Walmart possui acordo de redução de impacto ambiental com nove fornecedores

A empresa varejista Walmart possui desde 2010 um acordo com nove fornecedores para reduzir o uso de recursos naturais e matéria prima, melhorar o aproveitamento do transporte e gerar menos resíduos por meio de mudanças nos processos de fabricação dos produtos que são comercializados na rede de hipermercados no Brasil.
"A ideia do projeto foi levar a cadeia de suprimentos a dar um novo salto rumo à sustentabilidade, desenvolvendo produtos, linhas de produtos ou categorias que considerem e reduzam seus impactos no meio ambiente durante seu ciclo de vida", disse o presidente do Walmart Brasil, Héctor Núñez, durante coletiva de imprensa para lançar o programa batizado de End to End .
Segundo Nuñez, o programa da filial brasileira é pioneiro no mundo e pode ser replicado para as outras sedes da varejista. Os fornecedores que aderiram ao programa foram: 3M, Cargill, Coca-Cola Brasil, Colgate-Palmolive, Johnson&Johnson, Nestlé, Pepsico, Procter&Gamble e Unilever. Juntos estes fornecedores representam cerca de 40% das centenas de produtos vendidos.
Durante 18 meses o Walmart, os fornecedores e o Centro de Tecnologia de Embalagens (CETEA), ligado ao Instituto de Tecnologia de Alimentos (Ital), do governo de São Paulo, analisaram a cadeia produtiva dos produtos para identificar as possiblidades de redução dos impactos ao meio ambiente em cada ciclo de seu desenvolvimento. O investimento neste processo não foi revelado, mas Nuñez informou que o Walmart ajudou a custeá-lo e garantirá que os preços destes produtos nas gôndolas sejam competitivos.
"Por melhor que seja o produto, sempre é possível melhorá-lo na questão ambiental, reduzindo o consumo de água e a emissão de CO2 na sua cadeia produtiva e fazendo com que ele também tenha um menor impacto ambiental no seu consumo e no pós-consumo”, disse Eloisa Garcia, gerente do CETEA.
Inicialmente, os nove fornecedores fizeram as mudanças em nove de suas marcas líderes. A análise considerou desde achocolatados em pó e fraldas descartáveis até produtos de higiene e limpeza e estarão disponíveis para todos os supermercados, independente de serem ou não da bandeira do Walmart.
"O Walmart fomentou a mudança, mas é importante que todos participem", disse o presidente.
A rede varejista forneceu o suporte técnico do CETEA e a garantia de compra, a visibilidade e exposição diferenciada desses itens no ponto de venda. A expectativa da empresa é de não onerar o consumidor com a opção dos produtos."Esperamos que com o ganho em escala, esses produtos possam ser mais baratos que os convencionais", afirmou Nuñez. "Mas por enquanto, eles ainda terão o mesmo preço que seus similares, já que ainda não conhecemos a resposta do consumidor a eles".
O presidente da multinacional afirma que o próximo passo do programa é ampliar o alcance do projeto para os demais fornecedores, inciando com mais 12 novos produtos a serem incluídos. "Acreditamos que podemos fazer a diferença quando as indústrias se unem ao varejo", concluiu Nuz que não pôde informar quando será lançada a segunda etapa do programa.

Por: Fernanda Dalla Costa

Um comentário:

  1. Ótima matéria! Uma atitude importante para colaborar nesta luta pela defesa do meio ambiente.

    ResponderExcluir