"A logística reversa é processo de planejamento, implementação e controle do fluxo dos resíduos de pós-consumo e pós-venda e seu fluxo de informação do ponto de consumo até o ponto de origem, com o objetivo de recuperar valor ou realizar um descarte adequado. Desta forma, contribuindo para a consolidação do conceito de sustentabilidade no ambiente empresarial, apoiada nos conceitos de desenvolvimento ambiental, social e econômico. " (Patricia Guarnieri)



Crédito da imagem: jscreationzs / FreeDigitalPhotos.net

sexta-feira, 8 de abril de 2011

Livro “A Moeda de Lata” conta a história da reciclagem de latinhas no Brasil

Como o Brasil conseguiu alcançar – e, mais do que isso, manter desde 2001 – a liderança mundial na reciclagem de latas de alumínio? É esse o tema do livro “A Moeda de Lata” que conta, desde os primeiros tempos, os bastidores de uma atividade que movimenta atualmente mais de R$ 1,6 bilhão por ano, dá emprego e renda para mais de 200 mil brasileiros e que paga em dinheiro mais de R$ 400 milhões anuais apenas na etapa da coleta – onde estão as cooperativas de catadores, aposentados, garçons e donas de casa, entre outros.
Escrito em primeira pessoa, o livro une fatos históricos, números e análises à narrativa apaixonada de um dos protagonistas dessa história, José Roberto Giosa, o profissional que implantou, consolidou e difundiu o mais bem-sucedido programa de reciclagem do país. “Meu objetivo foi contar uma historia verdadeira e apresentá-la de forma leve, sem omitir os erros que cometemos, até por ter sido um projeto inovador”, explica o autor.
Com prefácio do deputado federal Fernando Gabeira, que acompanhou durante muitos anos a trajetória profissional de Giosa e do programa de reciclagem, o livro revela dados curiosos. Alguns exemplos? Se a coleta fosse uma empresa, ela estaria entre as 600 maiores companhias do país. Em 2009, os brasileiros reciclaram mais de 98% das latinhas pós-consumo. Para cada tonelada de latinhas recicladas, cinco toneladas de bauxita (minério do qual se extrai o alumínio) deixam de ser retiradas. Reciclar alumínio também economiza energia elétrica – com a reciclagem reduz-se em 95% o consumo em comparação com a produção de alumínio a partir de matéria-prima virgem.
Esse case de sucesso começou a ser construído em 1991 quando a primeira empresa produtora de latas de alumínio no Brasil decidiu criar uma divisão apenas para cuidar da recuperação, separação, derretimento e transformação das latinhas usadas em alumínio novo, pronto para virar uma latinha infinitas vezes, repetindo o ciclo sem perder nenhuma de suas características.
Giosa permaneceu à frente do programa por 16 anos e por igual período foi o coordenador da Comissão de Reciclagem da Associação Brasileira do Alumínio (Abal). Jornalista e economista, com MBA em Marketing pela Coppead-UFRJ, ele relata como foi possível conseguir êxito nessa empreitada sem que houvesse no Brasil leis que obrigassem à reciclagem, como acontece em muitos países da Europa e nos Estados Unidos que ostentam índices de reciclagem bem inferiores aos brasileiros. Vale a pena conhecer essa história.
título: A Moeda de Lata
Páginas: 111 páginas
Editora: Técnica Comunicação
Ano: 2010
À venda na Livraria da Vila, em São Paulo (SP), na Livraria da Travessa, no Rio de Janeiro (RJ), ou via internet no endereço www.livrariadatravessa.com.br.

Fonte: CEMPRE

Nenhum comentário:

Postar um comentário