"A logística reversa é processo de planejamento, implementação e controle do fluxo dos resíduos de pós-consumo e pós-venda e seu fluxo de informação do ponto de consumo até o ponto de origem, com o objetivo de recuperar valor ou realizar um descarte adequado. Desta forma, contribuindo para a consolidação do conceito de sustentabilidade no ambiente empresarial, apoiada nos conceitos de desenvolvimento ambiental, social e econômico. " (Patricia Guarnieri)



Crédito da imagem: jscreationzs / FreeDigitalPhotos.net

domingo, 27 de março de 2011

Ativista do Greenpeace palestra no 2º Forúm Mundial de Sustentabilidade sobre "Internalizar a sustentabilidade nas empresas"

O ambientalista americano Adam Werbach palestrou no 2º Forúm Mundial de Sustentabilidade nesta sexta-feira (25), e disse que o mundo sofreu mudanças muito bruscas nos últimos dez anos por causa das emissões de carbono. O ativista do Greenpeace propôs mudanças simples de hábito da população, para que grandes mudanças no planeta aconteçam..
Em sua palestra "Internalizando a sustentabilidade nas empresas", Adam contou sobre seu trabalho em grandes empresas que resolveram adotar ideias sustentáveis. Segundo ele, o que mais estimula o sucesso dessa internalização é o engajamento. "Engajamento é o principal. Porque na verdade é preciso começar com ideias simples, como encontrar pessoas em sua empresa que pensam como você, que queiram fazer a diferença. E juntos vocês podem fazer essas mudanças serem efetivadas na empresa".
Adam Werbach entrou no Greenpeace aos 13 anos, e fazia vários discursos contra empresas como a Wal-Mart. Até que um dia a empresa contratou os serviços da consultoria de Adam, a Act Now. Ele não aceitou a proposta no início, demorou um ano para assinar um acordo, e quando o fez foi muito criticado pelos outros ambientalistas. Hoje ele é chefe de Sustentabilidade Officer da Saatchi & Saatchi S, líder de iniciativas de sustentabilidade no mundo todo, e assessor de empresas com faturamento anual de US $ 1 trilhão, incluindo a Wal-Mart, Procter & Gamble, General Mills e AT&T.
Quando questionado no Forúm pela entrada no grupo Wal-Mart, Adam disse que se sente muito privilegiado de trabalhar em uma empresa tão grande, e que com ela aprendeu muito sobre errar e tentar consertar os erros. "É uma honra trabalhar em grandes empresas, tentar melhorá-las. A Wal-mart está tentando ser sustentável, e está fazendo de tudo para isso ser uma realidade".
O trabalho nele na empresa é reunir grupos de funcionários de cada uma das lojas , e ajudar a desenvolver planos (voluntários) para melhorar a vida. Cerca de metade dos participantes está seguindo a sua cartilha – e 12 mil trabalhadores já pararam de fumar – iniciativa-padrão da revolução ecológica de Adam. Para ele "a sustentabilidade no contexto industrial, significa rentabilidade a longo prazo, existir durante anos e continuar evoluindo nos negócios."

Fonte: D24am

Nenhum comentário:

Postar um comentário