"A logística reversa é processo de planejamento, implementação e controle do fluxo dos resíduos de pós-consumo e pós-venda e seu fluxo de informação do ponto de consumo até o ponto de origem, com o objetivo de recuperar valor ou realizar um descarte adequado. Desta forma, contribuindo para a consolidação do conceito de sustentabilidade no ambiente empresarial, apoiada nos conceitos de desenvolvimento ambiental, social e econômico. " (Patricia Guarnieri)



Crédito da imagem: jscreationzs / FreeDigitalPhotos.net

domingo, 22 de agosto de 2010

Quem é responsável socialmente e quem não é – aos olhos dos consumidores

É esse o questionamento que a Market Analysis, uma empresa de pesquisa com sede em Florianópolis, faz todos os anos a centenas de consumidores para elaborar um ranking de empresas que são as melhores em responsabilidade social corporativa no país. Os pesquisadores também fazem a pergunta do mal: que empresa não cumpre suas responsabilidades sociais e ambientais? Vejam abaixo os rankings desse ano, que a Market Analysis passou com exclusividade para a EXAME:
Conversei com Fabian Echegaray, diretor da Market Analysis, sobre os resultados. Pela terceira vez consecutiva a Petrobras foi escolhida a empresa mais socialmente responsável do país. O curioso é que ela também aparece na lista negra com uma das piores. Estranho? Não, segundo Echegaray. O que explica a ambigüidade são os investimentos pesados da empresa em marketing, que dão mais visibilidade para as suas ações sociais e ambientais, mas também expõe seus telhados de vidro, como a própria natureza do negócio. O raciocínio vale também para o Banco do Brasil e para a Coca Cola, também presentes nas duas listas. Em 2008, eu me lembro que a Vale também estava nos dois rankings (na minha cabeça, o raciocínio é mais o menos o seguinte: quando você nutre alguma simpatia pela empresa, e assiste na TV àquele comercial de um minuto falando sobre o quanto ela é legal, acha ok. Por outro lado, se não é muito chegado na companhia, e não acha que ela é lá aquilo que diz que é, vê o comercial, fica irritado, e pensa: “Essa empresa não podia estar gastando esse dinheiro absurdo para realmente fazer alguma coisa?”)
As empresas de telefonia continuam firmes e fortes na lista negra – e desbancaram de vez a Souza Cruz, que no passado já esteve na liderança. O que os consumidores trazem à tona quando as mencionam, é o óbvio: se essas empresas não fazem o básico, que é zelar pelo cliente e pela qualidade dos serviços e do atendimento prestado, para que diabos têm institutos e fundações para bancar projetos sociais em comunidades carentes? A propósito: perdi o meu celular há duas semanas e, de lá pra, cá, estou tentando reunir forças para ir até uma loja da minha operadora para resolver a minha vida … ainda não consegui porque sei o quanto de tempo e paciência isso vai me custar.
A Nike é uma das novidades do ranking bom, e a sua entrada na lista, segundo Echegaray, está associada, sobretudo, a patrocínios esportivos.
Lembrando:
1 – O estudo Monitor de Responsabilidade Social Corporativa 2010, foi realizado pela Market Analysis com base em 810 entrevistas com adultos de 18 – 69 anos, residentes nas nove principais capitais: São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Recife, Salvador, Porto Alegre, Curitiba, Goiânia e Brasília. Entrevistas realizadas face-a-face no domicílio do entrevistado entre dezembro/2009 a janeiro/2010. Margem de erro = +/-3,45%.
2 -Questionei Echegaray sobre as ”distorções do ranking”, coisas que ao meu ver, não fazem qualquer sentido, e ele me explicou: “Ana, não se trata de uma pesquisa com formadores de opinião, gente que conhece de perto o que essas empresas fazem. Estamos falando de consumidores comuns, e essa é a percepção que eles têm, seja isso ruim ou bom”

Por: Ana Luiza Herzog
Fonte: http://www.portalexame.com.br/

Nenhum comentário:

Postar um comentário