"A logística reversa é processo de planejamento, implementação e controle do fluxo dos resíduos de pós-consumo e pós-venda e seu fluxo de informação do ponto de consumo até o ponto de origem, com o objetivo de recuperar valor ou realizar um descarte adequado. Desta forma, contribuindo para a consolidação do conceito de sustentabilidade no ambiente empresarial, apoiada nos conceitos de desenvolvimento ambiental, social e econômico. " (Patricia Guarnieri)



Crédito da imagem: jscreationzs / FreeDigitalPhotos.net

domingo, 1 de agosto de 2010

Contêineres reciclados viram prédios comerciais

O Shopping das Franquias, empresa que atua no desenvolvimento de marcas de franquias, está reformando contêineres e tranformando materiais de difícil reciclabilidade para construir lojas pré-montadas de tamanhos e configurações personalizadas para cada negócio, que podem inclusive ser móveis. 

A empresa compra contêineres diretamente de transportadoras e os reforma, tornando-os adaptado às necessidades dos franqueados.
Além de reaproveitar o material, os equipamentos internos das lojas também são reciclados. "Podemos fazer um provador com PET ou usando partes de orelhões descatados, por exemplo", disse Luis Renato Bischoff, fundador do Shopping das Franquias. "Tudo depende do tipo de negócio e das necessidades do empreendedor".
O empresário explica que a loja-contêiner permite diversas opções de configurações como deque, cozinha, área de espera, brinquedoteca, andar superior e banheiros, além do fato de possibilitar que o investimento inicial seja preservado e que o empresário opere também em outros pontos comerciais.
O modelo também se adapta a qualquer lugar, independente do tamanho e contribui com a redução dos uma série de custos de implantação de um espaço comercial, como reformas para a adaptação de espaços pré-concebidos e que dificultam a adesão de pequenos e médios investidores.
A empresa aposta em um modelo diferenciado de investimento, no qual os empresários têm autonomia para desenhar o negócio, sem estabelecer uma relação de total dependência com o franqueador, como acontece com a maioria dos negócios do segmento.
"Para quem é empreendedor, gosta de se movimentar e conhece o negócio que está atuando as lojas-contêineres são ótimas", afirmou Bischoff.
Os franqueados tanto podem adquirir o contêiner quanto alugá-lo por um tempo determinado e devolvê-lo no final desse período.
"Dentro do nosso modelo de negócio, queremos um franqueado participativo, que seja nosso parceiro e não apenas trabalhe dentro de um molde engessado", explica o fundador do Shopping das Franquias.
 Por: Fernanda Dalla Costa
Fonte: www.revistasustentabilidade.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário