"A logística reversa é processo de planejamento, implementação e controle do fluxo dos resíduos de pós-consumo e pós-venda e seu fluxo de informação do ponto de consumo até o ponto de origem, com o objetivo de recuperar valor ou realizar um descarte adequado. Desta forma, contribuindo para a consolidação do conceito de sustentabilidade no ambiente empresarial, apoiada nos conceitos de desenvolvimento ambiental, social e econômico. " (Patricia Guarnieri)



Crédito da imagem: jscreationzs / FreeDigitalPhotos.net

sexta-feira, 28 de maio de 2010

Tailândia inaugura primeira cooperativa de catadores, inspirada em iniciativa brasileira

Evento internacional em Bangkok apresentou o projeto que, com apoio da iniciativa privada e do governo local, segue modelo brasileiro visando a inclusão social dos catadores.  O modelo criado pelo Cempre no Brasil - Compromisso Empresarial para a Reciclagem – para a formação de cooperativas de catadores de lixo para a coleta e separação de material reciclável foi tema do 2º encontro do GARSD (The Global Alliance for Recycling and Sustainable Development), realizado em novembro passado em Bangkok, capital da Tailândia, sob o patrocínio da Coca-Cola. Desde 2004, a Tailândia estuda a possibilidade de importar do Brasil o sistema de coleta voluntária, com base na atividade dos catadores, tendo em vista semelhanças socioeconômicas entre os dois países e do perfil do lixo urbano gerado.
Em 2006 e 2007 o Cempre Brasil conduziu comitivas do governo tailandês em visitas às cooperativas nacionais. No final do ano passado, a Tailândia apresentou avanços com a inauguração da primeira cooperativa instalada com apoio do governo e da iniciativa privada. “As visitas ao Brasil foram muito inspiradoras”, disse Suwanna Jungungrueng, diretora da Divisão de Planejamento Metropolitano da cidade de Bangkok, durante o GARSD.
O 2º encontro contou com a participação de organizações de outros países membros do GARSD que já vivenciam o modelo - Cempre Uruguai, Cempre Colômbia, Sustenta (Cempre México) e Timpse (Cempre Tailândia)- e de executivos de empresas mantenedoras do Cempre, como a Coca-Cola, Unilever, Tetra Pak e a Procter & Gamble. “O sucesso das cooperativas no Brasil tem inspirado países asiáticos em desenvolvimento, interessados em avançar na área valorizando aspectos sociais e utilizando programas de baixo custo e alta eficiência”, diz Victor Bicca Neto, diretor de assuntos governamentais da Coca-Cola Brasil e presidente do Cempre no país.
Em Bangkok, o GARSD discutiu a viabilidade de o modelo ser adotado também por países como Malásia,Indonésia, Índia e Vietnam, levando em consideração aspectos socioeconômicos e tecnologias disponíveis. Além de promover e organizar a coleta seletiva, a proposta das cooperativas no modelo Cempre é também a de assegurar renda regular e mais cidadania aos catadores. Na Tailândia, a primeira cooperativa saiu do papel composta por 30 cooperados. “Antes de se juntarem ao sistema, muitos deles viviam marginalizados, sem teto e excluídos socialmente”, conta André Vilhena, diretor executivo do Cempre Brasil. O evento promoveu visitas à cooperativa que já está em pleno funcionamento, na coleta e separação de diversos tipos de resíduos. Ela é a primeira experiência da Tailândia na coleta organizada de lixo reciclável e deverá inspirar a política nacional de resíduos sólidos do país, assim como ocorre no Brasil.
No evento, o Cempre também compartilhou a experiência bem-sucedida da criação em 2009 do Comitê de Eletroeletrônicos, que discute especificamente os entraves e oportunidades da reciclagem deste tipo de produto no Brasil. O Comitê é formado pelas empresas HP, Dell, Intel, Phillips, Carrefour, Casas Bahia, Johnson&Johnson , Pão de Açúcar,e Walmart. Segundo o calendário do GARSD, o próximo encontro deverá ocorrer em 2011, na Colômbia. No Brasil, o Cempre apóia cerca de 600 cooperativas, envolvendo em média 15 mil catadores.

Fonte: http://www.cempre.org.br/

Nenhum comentário:

Postar um comentário