"A logística reversa é processo de planejamento, implementação e controle do fluxo dos resíduos de pós-consumo e pós-venda e seu fluxo de informação do ponto de consumo até o ponto de origem, com o objetivo de recuperar valor ou realizar um descarte adequado. Desta forma, contribuindo para a consolidação do conceito de sustentabilidade no ambiente empresarial, apoiada nos conceitos de desenvolvimento ambiental, social e econômico. " (Patricia Guarnieri)



Crédito da imagem: jscreationzs / FreeDigitalPhotos.net

quarta-feira, 5 de maio de 2010

Educação Ambiental como ferramenta para o desenvolvimento sustentável

A educação Ambiental, em sua visão mais contemporânea, como resposta educativa à crise ambiental, tem pouco mais de três décadas de existência. Seu início se deu efetivamente entre as décadas de 60 e 70. Em 1972 aconteceu a Conferência de Estocolmo que pode ser considerado o primeiro foco oficial de alto nível em que se pensou na prevenção como princípio de gestão ambiental e se reconheceu a função que, em teoria, se devia atribuir à educação como ferramenta para responder aos problemas do ambiente. (SATO, 2005)
Um dos grandes desafios da Educação Ambiental contemporânea, talvez o mais importante e prioritário, segundo a autora é o de fundar vínculos significativos entre o local e o global, entre o ecológico e o socioeconômico. Isto porque frente ao “dever ser” que rodeia a polêmica sobre a Educação Ambiental para a sustentabilidade ou para o desenvolvimento sustentável, impõe-se uma educação sobre o “ser”: sobre o que somos e como somos, aqui e agora, as sociedades contemporâneas imersas em um processo acelerado de globalização econômica.
Para tal situação apresentada, segundo a Lei 9.795 (BRASIL – abr. 1999) em seu Artigo 2º a educação ambiental é um componente essencial e permanente da educação nacional, devendo estar presente, de forma articulada, em todos os níveis e modalidades do processo educativo, em caráter formal e não-formal.
A educação ambiental segundo Dias (2006) “é um conjunto de atividades que busca informar e sensibilizar as pessoas sobre a complexa temática ambiental, estimulando o envolvimento em ações que promovam hábitos sustentáveis de uso dos recursos naturais, além de propiciar reflexões sobre as relações ser humano-ambiente”.
Esta realidade é visível pelas atitudes observadas diariamente necessitando de ferramentas pertinentes a disseminação de informações como meios eletrônicos, matérias impressas, entre outros.
Segundo a Lei 9.795 (BRASIL – abr. 1999) referente à Educação Ambiental agrega valores na capacidade de cada pessoa proporcionando um relacionamento mais harmonioso com o meio ambiente, possibilitando uma melhor qualidade de vida para as futuras gerações.
Sabendo se da incumbência do processo educativo formal ou informal, é fundamental apresentar informações à sociedade como um todo, buscando manter atenção permanente à formação de valores, atitudes e habilidades que propiciem a atuação individual e coletiva voltada para a prevenção, a identificação e a solução de problemas ambientais.

Por: Carlos Alexander de Campos, formado em nivel técnico na área de segurança do trabalho atualmente funcionário publico, formando em nivel superior no curso de Tecnologia em Gestão Ambiental com ênfase na empresa e um dos membros fundador da ONG Representantes Ambientais de Cosmópolis.

Trecho extraído do artigo: Coleta e reciclagem de óleo usado proveniente de frituras como fonte alternativa na redução de resíduos por *Carlos Alexander de Campos, disponível em:
. Acesso em 22 Setembro 2009.

Nenhum comentário:

Postar um comentário