"A logística reversa é processo de planejamento, implementação e controle do fluxo dos resíduos de pós-consumo e pós-venda e seu fluxo de informação do ponto de consumo até o ponto de origem, com o objetivo de recuperar valor ou realizar um descarte adequado. Desta forma, contribuindo para a consolidação do conceito de sustentabilidade no ambiente empresarial, apoiada nos conceitos de desenvolvimento ambiental, social e econômico. " (Patricia Guarnieri)



Crédito da imagem: jscreationzs / FreeDigitalPhotos.net

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

Logística da reciclagem atrai mais empresas

Sem esperar pela aprovação de uma lei que instituirá a Política Nacional de Resíduos Sólidos que, se aprovada como está, responsabilizará os geradores de resíduos pelo "reaproveitamento na forma de novos insumos, seja em seu ciclo ou outros ciclos produtivos", já entrou em expansão um novo ramo de negócios que promete proporcionar às empresas soluções seguras nesse campo.
Fundada em 2002 pelo auditor ambiental Marcelo Oliveira, em São José dos Campos (SP), a GM&C Logística é uma delas. Segundo seu diretor, conta com uma área de 2 mil metros quadrados para a recepção de materiais e com 10 mil pontos de coleta em todo o país. Entre seus 15 clientes, estão as operadoras de telefonia móvel Claro, Oi, TIM e Vivo, além das fabricantes Sony Ericsson e Siemens.
Por meio da internet, esses clientes podem usar uma ferramenta que a empresa desenvolveu para rastrear o caminho dos eletroeletrônicos descartados pelos consumidores, que começa com a coleta e termina na destinação final escolhida pelos clientes. Segundo Oliveira, alguns preferem a trituração, feita pela Umicore, empresa de origem belga que elimina o produto após a retirada de alguns elementos reaproveitáveis, evitando o encaminhamento para o mercado paralelo. Outros optam pela descaracterização, feita pela Belmont Trading, que envolve a desmontagem e separação. No caso das pilhas e baterias, todas são encaminhadas à Suzaquim.
Em 2007, diz Oliveira, 30 toneladas de resíduos foram reciclados por meio da GM&C. Para 2008, a estimativa é movimentar cinco vezes mais. Desse total, pelo menos 50 toneladas serão de aparelhos celulares.
Não é a única do setor. Instalada em Paulínia (SP), a Oxil também promete serviços da área, que incluem igualmente a coleta e descaracterização ou destruição, e o gerenciamento dos resíduos em conformidade com as normas legais. A empresa declara que processa 2 mil toneladas de produtos por ano, por meio da manufatura reversa.
Interamerican, em São Bernardo do Campo (SP); TGC, em Guarulhos (SP); Lorene, Sir Company e Sanlien, na capital paulista, são outras empresas especializadas na destinação de eletrônicos, que estão listadas pelo Compromisso Empresarial para a Reciclagem (Cempre), organização formada por grandes empresas para lidar com o tema. Uma diversidade que torna ainda mais difícil saber quantos aparelhos ou baterias de celulares são reciclados por ano.

Fonte: Fonte: Valor Online, 20/08/2008
Por Silvia Czapski

Para ler a matéria completa acesse:
http://www.clrb.com.br/noticia_050.php

2 comentários:

  1. Bom dia!

    Patricia, enviei um email, pedind para você respobder um questionario que goataria que entrasse no meu trabalho de conclusão de curso.

    obrigada!

    Cristiane Bandeira (cristiane.bandeira@hotmail.com)

    ResponderExcluir
  2. Olá Cristiane,

    Respondi e enviei por e-mail a alguns dias atrás.

    ResponderExcluir