"A logística reversa é processo de planejamento, implementação e controle do fluxo dos resíduos de pós-consumo e pós-venda e seu fluxo de informação do ponto de consumo até o ponto de origem, com o objetivo de recuperar valor ou realizar um descarte adequado. Desta forma, contribuindo para a consolidação do conceito de sustentabilidade no ambiente empresarial, apoiada nos conceitos de desenvolvimento ambiental, social e econômico. " (Patricia Guarnieri)



Crédito da imagem: jscreationzs / FreeDigitalPhotos.net

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Resíduos plásticos: Japoneses criam equipamento que transforma plástico em combustível

É fato de que hoje, praticamente tudo o que compramos vêm em embalagens plásticas, e não estou falando somente as sacolinhas plásticas que você recebe para embalar suas compras no supermercado, que atualmente estão sendo citadas na mídia, como as grandes vilãs ambientais. Existe uma variedade enorme de tipos de plástico que vão da categoria    1 a 7, sendo as do tipo 1 mais fáceis de reciclar e ambientalmente mais corretas, pois não perdem suas propriedades no processo da reciclagem, e as do tipo 7 as piores no quesito ambiental,
Vejam o  caso da resina PET por exemplo, que é do tipo 1, a cada 1 garrafa PET pós-consumo pode ser gerada outra garrafa PET. Mas, infelizmente  isso não ocorre com todos os tipos de plástico, a maioria deles perde suas propriedades e geram toxinas no processo de reciclagem, por isso nem sempre sua reciclagem é viável economicamente, e o que ocorre é o downcycling, ou seja os sub-produtos gerados tem um valor agregado muito pequeno e acabam não podendo ser reciclados muitas vezes mais.
O resultado disso tudo nós podemos ver todos os dias: resíduos de plástico de todos os tipos, sejam sacolas plásticas, tampas de garrafa, garrafas, etc, presos em bueiros, espalhados pelas ruas, córregos, lotes vagos, rios e também nas praias. 
Infelizmente esse resultado tão desagradável tem consequências ainda piores, quando animais, principalmente os marinhos (mamíferos, peixes e aves), confundem este tipo de resíduo com alimentos e acaba inserindo este tipo de resíduo em sua cadeia alimentar, além disso muitos animais se enroscam nos resíduos o que acaba os matando ou alterando totalmente o seu corpo.
Um estudo realizado por duas instituições americanas levanta o temor de que o lixo, à medida que vai se introduzindo na cadeia alimentar, pode terminar sendo ingerido pelos seres humanos que ainda consomem animais.  Ou seja, aquilo que fazemos à natureza acaba voltando para nós!
Este estudo foi realizado pela Algalita Marine Research Foundation, instituição sem fins lucrativos com sede em Long Beach, Califórnia, realiza pesquisas científicas sobre a propagação global dos detritos marinhos, mas também luta para limitar “o rastro de plásticos” deixados pela sociedade em rios e oceanos; e também pelo Coastal Water Research Project, baseado em Costa Mesa, também na Califórnia, que é um instituto de pesquisa ambiental financiado por 14 agências governamentais diferentes.
Em 2008, segundo estas instituições, foram encontrados pedaços de plástico nos estômagos de vários peixes, na Costa Oeste dos Estados Unidos.
E como resolver este problema?? Será que teremos que abolir todas as embalagens plásticas e voltar a comprar os produtos a granel como ocorria antigamente?? Será isso possível??
Não sejamos tão radicais, há alternativas para reduzir o consumo e, consequentemente, o descarte das embalagens plásticas. Nós consumidores, podemos no momento da compra optar por embalagens ambientalmente mais corretas como é o caso do aço, alumínio, vidro e também PET (que não perdem suas propriedades e são 100% recicláveis)ou ainda, utilizar sacolas retornáveis para carregar nossas compras. Eu acredito fortemente que a conscientização é a chave para a redução deste tipo de embalagem.
Mas ontem conheci uma alternativa muito legal, criada pelos japoneses, os quais inventaram uma máquina que transforma plástico em combustível. 
Plásticos de todos os tipos são colocados no equipamento, e depois de alguns comandos o material é totalmente reciclado. Como vocês devem saber o plástico é feito do óleo, derivado do petróleo, desta forma ao final dos processos os japoneses conseguiram gerar óleo do plástico inserido na máquina, o que é ideal sob o ponto de vista ambiental, você transforma o resíduo no mesmo material que o gerou. 
Existem dois tipos de equipamentos, um menor destinado para cooperativas de reciclagem e outro maior a nível industrial. Este último ainda têm a capacidade de gerar vários tipos de combustíveis: óleo pesado, óleo diesel, gasolina, querosene. Fantástico não é?!
Parabéns aos japoneses por mais esta inovação. Pois enquanto não reduzimos os resíduos de plástico, a solução é reciclar! E este tipo de produto gerado após o final do processo, com certeza agrega maior valor econômico e despertará o interesse de muitos empresários.

Assista o vídeo da matéria feita pela Record News sobre esta máquina para reciclagem de plásticos (CLIQUE SOBRE A IMAGEM):


Por: Patricia Guarnieri para o Blog Logística Reversa e Sustentabilidade

Nenhum comentário:

Postar um comentário