"A logística reversa é processo de planejamento, implementação e controle do fluxo dos resíduos de pós-consumo e pós-venda e seu fluxo de informação do ponto de consumo até o ponto de origem, com o objetivo de recuperar valor ou realizar um descarte adequado. Desta forma, contribuindo para a consolidação do conceito de sustentabilidade no ambiente empresarial, apoiada nos conceitos de desenvolvimento ambiental, social e econômico. " (Patricia Guarnieri)



Crédito da imagem: jscreationzs / FreeDigitalPhotos.net

sábado, 26 de novembro de 2011

Central de Logística Reversa da Prefeitura de Londrina-PR já está em funcionamento - Matéria de Ana Paula Hedler

Gostaria de compartilhar com vocês esta matéria que trata de uma excelente iniciativa da Prefeitura de Londrina - PR, a qual merece ser divulgada e compartilhada! Conforme já citei aqui no blog em outras ocasiões, a Prefeitura de Londrina - PR é exemplo de modelo em coleta seletiva e inclusão de catadores, mesmo antes da sanção da PNRS, o que possibilitou que obtivesse um percentual de quase 100% de abrangência na coleta seletiva no município e região metropolitana. 
A novidade agora se refere à uma central de logística reversa, que possibilitará que os cidadãos possam descartar os resíduos, cuja obrigatoriedade está disposta na PNRS e que, na maioria dos casos, não podem ser descartados no lixo comum, por serem tóxicos e causarem danos à saúde da população, além de contaminar solo, rios e lençóis freáticos. Confiram:

**A Central de Logística Reversa de Londrina é a primeira central pública implantada no país. Ela foi lançada pelo prefeito Barbosa Neto, no dia 11 deste mês de novembro, e já está recebendo resíduos sólidos e materiais especiais coletados nos ecopontos da cidade e faz parte da Política Municipal de Resíduos Sólidos. 
A central está instalada no antigo barracão do Instituto Brasileiro do Café (IBC), doado ao Município. O local conta com 28 mil metros quadrados destinados a armazenar os produtos recolhidos na cidade. E não é aberto ao público. A comunidade pode ajudar o município, separando produtos não mais utilizados, como eletrodomésticos, lâmpadas fluorescentes, embalagens de óleos lubrificantes e seus resíduos, móveis, pneus, pilhas e baterias.
O processo de recolhimento e destinação começa quando a população leva aos sete ecopontos, espalhados pela cidade, os resíduos sólidos ou especiais. Os técnicos dos ecopontos classificam os produtos, entre industrializados ou não, e enviam para a Central que funciona como local de catalogação e armazenagem dos resíduos recolhidos. Depois de classificados por fabricante, a central entra em contato com as associações que ficam encarregadas de recolher seus produtos e dar a destinação correta.
A doutora em engenharia de produção e autora do livro “Logística Reversa: em busca do equilíbrio econômico e ambiental”, Patrícia Guarnieri, afirmou que a grande vantagem da central é que “os consumidores finais, cidadãos, terão locais apropriados para descartar resíduos que, na maioria das vezes, são tóxicos. Isso reduzirá a quantidade de lixo nas vias públicas, rios e lotes vagos, aumentando a qualidade de vida da população”. 
Patricia também enfatizou que é importante ter locais, como este implantado em Londrina, porque a logística reversa operacionaliza o retorno dos resíduos - que anteriormente eram destinados a lixões, aterros e locais inapropriados - para destinações ambientalmente corretas como, por exemplo, a reciclagem, incineração para geração de energia ou, em último caso, a disposição final em aterros adequados.
No momento, a Central de Logística Reversa está recebendo também materiais provenientes dos mutirões que vêm realizando ações de prevenção da dengue. O presidente da Companhia Municipal de Trânsito e Urbanização (CMTU), André Nadai, explicou que, mesmo quando os trabalhos de prevenção da dengue terminarem, a central continuará recebendo os resíduos e funcionando normalmente.
Com essa iniciativa inovadora, o município de Londrina demonstra preocupação com o descarte correto dos resíduos, com a preservação do meio ambiente, pois a comunidade tem um local adequado para entregar os resíduos sólidos e a tendência é que diminua o descarte incorreto em terrenos baldios. Além disso, o descarte correto ajuda na prevenção da dengue, ao reduzir a quantidade de locais disponíveis para o hospedeiro do mosquito se reproduzir, como pneus, por exemplo. 
O presidente da CMTU, André Nadai, afirma que atualmente estão trabalhando no processo de coleta, seleção, catalogação e redistribuição, aproximadamente, 50 pessoas, entre técnicos da CMTU e funcionários da Secretaria Municipal do Meio Ambiente (SEMA).
A comunidade interessada em dar o destino correto aos produtos, como eletrodomésticos, pneus, remédios, entre outros, pode levá-los aos mutirões que vão acontecer às terças e quartas-feiras, sendo que, nos dias 22 e 23, estará na região Norte, Área de Abrangência da UBS Parati. Nos dias 29 e 30, será na região Oeste (Jardim Santiago); dias 6 e 7 de dezembro, estará na região Central, CSU, já dias 13 e 14, na região Sul (União da Vitória); dias 20 e 21, região Leste (Armindo Guazzi) e, nos dias 27 e 28, será na região Norte (Vivi Xavier). **

Por: Ana Paula Hedler - Assessora de comunicação da Prefeitura de Londrina-PR

Nenhum comentário:

Postar um comentário