"A logística reversa é processo de planejamento, implementação e controle do fluxo dos resíduos de pós-consumo e pós-venda e seu fluxo de informação do ponto de consumo até o ponto de origem, com o objetivo de recuperar valor ou realizar um descarte adequado. Desta forma, contribuindo para a consolidação do conceito de sustentabilidade no ambiente empresarial, apoiada nos conceitos de desenvolvimento ambiental, social e econômico. " (Patricia Guarnieri)



Crédito da imagem: jscreationzs / FreeDigitalPhotos.net

domingo, 6 de março de 2011

Programa de logística reversa Toyota para recall de unidades Corolla

Devido ao incremento da produção e demanda de veículos em 2009 e 2010 houve um aumento considerável  nos recalls na indústria automotiva, sem dúvida programas de logística reversa bem estruturados, operacionalizando o retorno dos veículos às concessionárias para a troca de peças/componentes defeituosos torna-se essencial para manter uma boa imagem corporativa das empresas e manter seus clientes.
Um exemplo de eficiência em termos de logística reversa de peças e componentes defeituosos em veículos é o da empresa Toyota, que é considerada uma das marcas mais confiáveis do mercado, mesmo após ter sua imagem corporativa um pouco abalada devido à ocorrência de recalls, o que era "quase impossível" de ocorrer, a Toyota é ainda considerada uma marca extremamente confiável em termos de qualidade, devido à agilidade e responsabilidade que tratou destes inconvenientes.
Em 26/02/11 a Toyota do Brasil anunciou o recall de unidades do modelo Corolla produzidas entre março de 2008 e dezembro de 2010. A campanha abrange as versões XLi, GLi, XEi, SEG e ALTIS. De acordo com a fabricante, o problema está na mangueira do sistema de partida a frio do carro, que pode provocar o vazamento de gasolina. Há ainda a possibilidade remota de ocorrer incêndio somente se, simultaneamente ao vazamento de combustível, existir a presença de agente produtor de faísca.
O sistema de partida a frio é montado no interior do compartimento do motor e consiste de um reservatório, bomba, mangueira e bocal de abastecimento. Segundo o comunicado, devido a uma não conformidade na fabricação da mangueira, esta pode vir a deteriorar-se, gerando pequenas fissuras através das quais podem ocorrer vazamentos de gasolina.


Confira os números de chassi dos carros envolvidos no recall
Código do chassi Últimos sete dígitos
9BRBB42E09 ~ 9BRBB42EX9 5000542 ~ 5055571
9BRBB48E09 ~ 9BRBB48EX9 5000541 ~ 5055592
9BRBB42E09 ~ 9BRBB42EXA 5055598 ~ 5116530
9BRBB48E09 ~ 9BRBB48EXA 5055594 ~ 5116529
9BRBD48E0A ~ 9BRBD48EXA 2500002 ~ 2500007
9BRBB42E0A ~ 9BRBB42EXB 5116534 ~ 5151708
9BRBB48E0A ~ 9BRBB48EXA 5116531 ~ 5126284
9BRBD48E0B ~ 9BRBD48EXB 2500008 ~2525074

“Adicionalmente, pode ocorrer a formação de contaminantes através da reação do material do anel do reservatório do sistema de partida a frio com a gasolina nele contida. Caso isso ocorra, a capacidade de vedação do selo do eixo da bomba pode ser afetada, ocasionando vazamento de gasolina”, explica a nota.
Os proprietários dos veículos envolvidos devem procurar uma loja da rede de concessionárias a partir desta terça-feira (1º). A Toyota recomenda o agendamento prévio do reparo.
Para mais informações, a Toyota disponibiliza o Serviço de Assistência ao Cliente no telefone 0800 703 02 06 ou a página na internet www.toyota.com.br.
A Toyota não divulgou o número de veículos que serão convocados.
No ano passado, 117.428 unidades do Corolla foram convocadas no Brasil por problemas na fixação do tapete.

Por: Patricia Guarnieri (adaptado de G1)
Fonte: Blog Logística Reversa e Sustentabilidade e G1 

Nenhum comentário:

Postar um comentário