"A logística reversa é processo de planejamento, implementação e controle do fluxo dos resíduos de pós-consumo e pós-venda e seu fluxo de informação do ponto de consumo até o ponto de origem, com o objetivo de recuperar valor ou realizar um descarte adequado. Desta forma, contribuindo para a consolidação do conceito de sustentabilidade no ambiente empresarial, apoiada nos conceitos de desenvolvimento ambiental, social e econômico. " (Patricia Guarnieri)



Crédito da imagem: jscreationzs / FreeDigitalPhotos.net

terça-feira, 11 de maio de 2010

A cidade de Caxias do Sul possui coleta de lixo automatizada

O sistema implantado no município consiste no esvaziamento de 510 contêineres fixos instalados a cada 100 metros – disponíveis 24 horas - em 270 quadras da região central da cidade por meio de caminhões automatizados. A tecnologia implantada em Caxias do Sul é pioneira no Brasil e atenderá 80 mil pessoas fixas e uma população flutuante de cerca de 250 mil pessoas.
O sistema está sob responsabilidade da Codeca (Companhia de Desenvolvimento de Caxias do Sul) utilizando tecnologia de primeiro mundo produzida no Brasil pela Themac. Segundo o diretor-presidente da Codeca, Adiló Angelo Didomênico, a receptividade da população foi ótima e aumentou a conscientização ambiental da população, que inclusive está selecionando mais o lixo reciclável.
A mudança nos hábitos da população caxiense é uma das principais características do novo sistema. O novo processo implementado na cidade representa uma inovação na coleta de resíduos sólidos urbanos mediante o sistema de coleta de carga lateral automatizada. A ambição da Codeca é demonstrar na prática, em termos de custos e com respaldo técnico comercial, que a inovação tecnológica não é privativa das grandes e modernas cidades européias onde o sistema já e utilizado com sucesso, como Barcelona, Roma e Amsterdã, por exemplo. Na América Latina, sua utilização já é atualmente uma realidade em cidades do Chile e Uruguai, com custos razoáveis e resultados de excelência.
Antes de implantá-lo em Caxias, a Codeca encomendou uma pesquisa à Universidade de Caxias do Sul (UCS) e ao Centro de Estudos e Pesquisas em Administração da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Cepa/Ufrgs). Nos dois institutos, o resultado foi favorável à implantação. Nas semanas seguintes à instalação do sistema na cidade, o jornal Pioneiro realizou enquete entre seus leitores e registrou mais de 80% de aprovação. A mudança, no entanto, não é definitiva. A Codeca fez um contrato de um ano com uma empresa privada para a locação dos caminhões e contêineres, que poderá ser encerrado caso a população não consiga se acostumar com o novo sistema.
O manejo dos resíduos urbanos necessita de grandes esforços e quantidade de recursos da gestão municipal. Ainda assim, geralmente os clássicos problemas sócio-ambientais ligados ao lixo persistem. Durante a última década no Brasil, assim como na America Latina, os problemas mais evidentes têm sido a dispersão do lixo nas ruas, a proliferação de ratos, pragas e doenças, a contaminação de rios e seus litorais, o negativo impacto para os visitantes, entre outras. Estes clássicos problemas, e outros não tão evidentes, são de difícil solução sem uma evolução nas tecnologias de disposição primária, coleta e transporte dos resíduos urbanos.
O sistema de coleta manual não oferece todas as respostas ao problema do lixo nas cidades modernas, significando um modelo de gestão cuja técnica não proporcionou uma evolução significativa ao problema em décadas. Sua falência é evidente e comprovadamente acarreta:
 Baixa produtividade na operação.
 Deterioração visual da cidade e seus rios.
 Descontentamento social para a função pública.
 Grande índice de acidentes
 Custos
 Insalubridade.
 Ineficientes mecanismos do controle.
O serviço de coleta de carga lateral de contêineres metálicos se estrutura basicamente na distribuição destes receptáculos nas ruas da cidade. A mesma deve permitir um fácil acesso aos usuários, para que depositem pessoalmente seus resíduos diretamente nos contêineres. A conteinerização, além de permitir aos cidadãos livrarem-se de seus resíduos de forma natural e cômoda, oferece a alternativa de se liberar de dias e horários fixos.
O cidadão de uma área conteinerizada se vincula com seu contêiner a partir de uma tarefa cotidiana , por exemplo, a caminho de seu trabalho, transporte público, passeio ou saídas de compras. E assim, o lixo fica dentro de casa o menor tempo possível. Dentro dos contêineres o lixo é mantido a salvo de cachorros e outros animais, como roedores. As eventuais rupturas das sacolas de lixo pela ação dos catadores informais se produz dentro do espaço interior do contêiner evitando assim o espraiamento do lixo na rua.
Disponíveis em dois tamanhos, de 2400 e 3200 litros, os 510 contêineres estão distribuídos pela região central de Caxias do Sul. Sua distribuição é estratégica, de acordo com as necessidades onde são instalados, como o fluxo de movimento e volume de coleta. Destaca-se uma quantidade mínima deles por quarteirão, em média a cada 100 metros.
A justificativa mais importante para o sistema automatizado por carga lateral é a evolução do processo de coleta de lixo. Unificando as tarefas num único operador, diminui-se o tempo de coleta e o congestionamento de trânsito, além de eliminar o contato com resíduos dos envolvidos, proporcionando maior higiene e segurança no processo.
A empresa Themac do Brasil (representante de equipamentos italianos) é a referência do sistema de coleta de lixo mecanizada. Os caminhões e containeres italianos são representados pela empresa canoense Themac do Brasil Equipamentos Ltda e estão sendo operados pela CODECA (Companhia de Desenvolvimento de Caxias do Sul) na coleta de lixo mecanizada de Caxias do Sul desde o ano de 2007.

Fonte:http://www.insider2.com.br/?menu=noticias-detalhes&id=247&pagina=

Nenhum comentário:

Postar um comentário